Biden diz-se “mais forte” após democratas garantirem controlo do Senado dos EUA

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse estar numa posição “mais forte” para um encontro com o líder chinês, Xi Jinping, após os democratas terem mantido o controlo da câmara alta do parlamento norte-americano.

Biden diz-se

Biden diz-se “mais forte” após democratas garantirem controlo do Senado dos EUA

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse estar numa posição “mais forte” para um encontro com o líder chinês, Xi Jinping, após os democratas terem mantido o controlo da câmara alta do parlamento norte-americano.

“Sinto-me bem e estou ansioso pelos próximos dois anos”, disse Biden na capital do Camboja, Phnom Penh, onde termina hoje a cimeira da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN). “Sei que estou a chegar mais forte”, disse aos jornalistas Biden, que se vai encontrar com Xi na segunda-feira, na ilha indonésia de Bali, à margem da cimeira do grupo das 20 economias mais desenvolvidas (G20). “Conheço Xi Jinping, ele conhece-me”, acrescentou Biden, dizendo que sempre tiveram “discussões francas”. O atual Presidente norte-americano era vice-presidente em 2012, quando Xi foi escolhido para liderar o Partido Comunista Chinês. “Temos muito poucos desentendimentos. Só precisamos de determinar quais são as linhas vermelhas”, disse Biden.

Tiros atingem a sede de um jornal no oeste do Brasil
A sede do jornal Rondónia Ao Vivo, em Porto Velho, capital do estado brasileiro de Rondónia (oeste), foi atacada a tiro, após receber ameaças de um grupo de extrema-direita, apoiante do ainda Presidente Jair Bolsonaro (… continue a ler aqui)

Os líderes das duas maiores economias mundiais têm falado por telefone em numerosas ocasiões desde que Biden se tornou Presidente, em janeiro de 2021. Mas a pandemia de covid-19 e a aversão de Xi às viagens ao estrangeiro impediram os dois líderes de se encontrarem pessoalmente. O Partido Democrata vai manter o controlo da Câmara dos Representantes, após Catherine Cortez Masto ter conquistado a última vaga no Senado em representação do estado do Arizona (sudoeste). As eleições intercalares de terça-feira foram uma lição para os republicanos, que agora devem decidir “quem são”, disse Joe Biden, referindo-se à influência do ex-presidente Donald Trump, que continua a alegar que houve fraude eleitoral em 2020, sem quaisquer provas.

O Partido Democrata vai manter o controlo da Câmara dos Representantes, após Catherine Cortez Masto ter conquistado a última vaga no Senado

Segundo projeções da agência Associated Press (AP), Cortez Masto conseguiu o número de votos suficiente para garantir a vitória sobre o candidato republicano Adam Laxalt, apoiado por Trump. Com a vitória de Cortez Masto confirmada, os democratas conseguem 50 assentos no Senado, mais um que os republicanos, num total de 100 assentos em disputa. Mesmo que os republicanos vençam o último lugar ‘disponível’, que está a ser disputado no estado de Geórgia, só conseguirão um empate a 50 lugares no Senado. Nessa situação, algo que acontece atualmente na câmara alta do Congresso, a vice-Presidente Kamala Harris (democrata) fica com o voto de desempate.

Com o controlo do Senado, os democratas garantem um processo mais suave para as nomeações do executivo e escolhas de juízes, incluindo aqueles para possíveis lugares no Supremo Tribunal, nos dois últimos anos do mandato do Presidente Joe Biden. O Senado poderá ainda rejeitar qualquer legislação aprovada pela câmara baixa do Congresso, a Câmara dos Representantes, onde os republicanos ainda podem conquistar a maioria.

Impala Instagram


RELACIONADOS