Autárquicas: Rui Rio lamenta que país esteja cada vez mais desequilibrado

O presidente do PSD, Rui Rio, considerou hoje que Portugal “se tem vindo a desequilibrar cada vez mais” e apelou aos autarcas que lutem contra o “excesso de concentração e de centralização” em Lisboa e Porto.

Autárquicas: Rui Rio lamenta que país esteja cada vez mais desequilibrado

Autárquicas: Rui Rio lamenta que país esteja cada vez mais desequilibrado

O presidente do PSD, Rui Rio, considerou hoje que Portugal “se tem vindo a desequilibrar cada vez mais” e apelou aos autarcas que lutem contra o “excesso de concentração e de centralização” em Lisboa e Porto.

“É um país que, cada passo que dá, se tem vindo a desequilibrar cada vez mais”, lamentou Rui Rio, ao discursar durante um almoço com candidatos autárquicos em Lamego, no distrito de Viseu.

Na sua opinião, é importante que os presidentes de câmara do interior do país “sejam pessoas competentes e com vontade de lutar contra este excesso de concentração e de centralização” na capital do país e em parte da segunda área metropolitana de Portugal.

Rui Rio disse que, se há uns anos se dizia que Portugal “era um país desequilibrado entre o litoral e o interior”, hoje a situação é pior.

“Já nem sequer podemos dizer que há um desequilíbrio entre o interior e o litoral, porque há já no litoral concelhos que têm quase os mesmos problemas do interior, tal é a concentração e a centralização que existe na área metropolitana de Lisboa e um pouco na área metropolitana do Porto”, lamentou.

O líder social-democrata afirmou que mesmo as verbas da “bazuca” não têm esta situação em consideração: “em prol do interior, do reequilíbrio do país, pode haver muita conversa, mas ações em concreto não há”.

Rui Rio defendeu que “o país precisa de reformas estruturais que rasguem novos horizontes às pessoas”, mas os socialistas “não têm vontade” de as fazer.

“Não querem porque não lhes interessa mudar aquilo que está configurado à sua semelhança, ou seja, o sistema em que nós hoje vivemos é um sistema que se confunde com o próprio PS”, frisou.

É por isso que, segundo Rui Rio, das propostas que o PSD apresenta para mudar, só será aceite “aquilo que possa parecer que muda desde que tudo consiga ficar mais ou menos na mesma”.

“É a mudança necessária para tudo ficar na mesma, porque a mudança para mudar mesmo o país e para rasgar horizontes às pessoas nunca quererá o PS fazer”, sublinhou.

Rui Rio está hoje no terceiro dia de uma “volta” que vai dar ao país, em ações de pré-campanha.

De manhã, visitou a Santa Casa da Misericórdia de Resende e a empresa Cermouros, no mesmo concelho, e, depois do almoço em Lamego, seguiu para Vila Nova de Paiva, onde inaugurará a sede da candidatura autárquica e visitará os bombeiros voluntários.

AMF // FPA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS