Angola investiu 975,5 ME em três anos do plano integrado dos municípios

O Governo angolano anunciou hoje que cerca de 450 mil milhões de kwanzas (975,5 milhões de euros) foram já gastos com a implementação, há três anos, dos projetos da carteira do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

Angola investiu 975,5 ME em três anos do plano integrado dos municípios

Angola investiu 975,5 ME em três anos do plano integrado dos municípios

O Governo angolano anunciou hoje que cerca de 450 mil milhões de kwanzas (975,5 milhões de euros) foram já gastos com a implementação, há três anos, dos projetos da carteira do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

Segundo o secretário de Estado para as Autarquias Locais angolano, Márcio Daniel, dos 2.710 projetos inscritos no PIIM cerca de 2.040 estão em execução nas 18 províncias angolanas com a respetiva verba assegurada.

O governante, que falava por ocasião da 4.ª reunião ordinária da Comissão Interministerial de Implementação do PIIM, fez saber também que até final do presente ano 80% dos projetos do PIIM estarão concluídos.

“No total de 1.749 projetos, até ao final do ano nós teremos concluído 1.405 projetos, o que quer dizer que 80% da carteira PIIM inicial será concluída até ao final do ano, o que faz com que o nosso balanço seja positivo em relação ao total de projetos que inicialmente integraram a carteira”, disse.

O plano de dimensão nacional inscreve projetos dos setores da educação, saúde, estradas secundárias e terciárias, segurança pública e ordem pública, agricultura, infraestruturas administrativas, saneamento básico, água, energia, entre outros.

O PIIM, lançado em junho de 2019 pelo Presidente angolano, João Lourenço, está orçado em 2 mil milhões de dólares (1,6 mil milhões de euros), recursos provenientes do Fundo Soberano de Angola, com as autoridades a garantirem que o mesmo está a ser executado “sem o recurso a endividamento público”.

A reunião da Comissão Interministerial para a Implementação do PIIM, presidida hoje pelo ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, fez o balanço dos projetos em curso e o seu grau de execução física e financeira.

DYAS // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS