Afeganistão: Talibãs ganham terreno no norte com maior avanço desde maio

Cabul, 08 ago 2021 (Lusa) – Os talibãs reforçaram hoje o seu controlo no norte do Afeganistão, tomando duas capitais provinciais no âmbito de uma ofensiva que dura desde maio, simultânea à retirada das forças internacionais marcada para 31 de agosto.Com poucas horas de intervalo, os insurgentes conseguiram, depois de violentos combates, tomar posse da […]

Afeganistão: Talibãs ganham terreno no norte com maior avanço desde maio

Afeganistão: Talibãs ganham terreno no norte com maior avanço desde maio

Cabul, 08 ago 2021 (Lusa) – Os talibãs reforçaram hoje o seu controlo no norte do Afeganistão, tomando duas capitais provinciais no âmbito de uma ofensiva que dura desde maio, simultânea à retirada das forças internacionais marcada para 31 de agosto.Com poucas horas de intervalo, os insurgentes conseguiram, depois de violentos combates, tomar posse da […]

Cabul, 08 ago 2021 (Lusa) – Os talibãs reforçaram hoje o seu controlo no norte do Afeganistão, tomando duas capitais provinciais no âmbito de uma ofensiva que dura desde maio, simultânea à retirada das forças internacionais marcada para 31 de agosto.

Com poucas horas de intervalo, os insurgentes conseguiram, depois de violentos combates, tomar posse da cidade de Kunduz – 300 quilómetros a norte da capital, Cabul – e de Sar-e-Pul, 400 quilómetros a ocidente.

Os talibãs controlam agora quatro da 34 capitais provinciais do Afeganistão, sendo que Kunduz, com cerca de 300 mil habitantes, já tinha sido capturada em 2015 e 2016.

“Kunduz caiu. Os talibãs tomaram controlo de todos os edifícios chave da cidade”, afirmou um correspondente da agência France-Presse (AFP) no local.

A tomada de Kunduz constitui o principal sucesso militar dos talibãs desde o início da sua ofensiva em maio, lançada graças à retirada das forças internacionais, que deverá estar completa no dia 31 de agosto.

No final de junho, os talibãs já tinham conquistado territórios à volta de Kunduz e o posto fronteiriço de Shir Khan Bandar, junto ao Tajiquistão, um eixo nevrálgico para as relações económicas com a Ásia Central.

Ao mesmo tempo que o ministério afegão da Defesa afirma estar a tentar recuperar as cidades no norte, o consultor do International Crisis Group (ICG) Ibraheem Thurial Bahiss afirma à AFP que a captura de Kunduz pelos insurgentes “é realmente importante porque vai libertar um grande número de combatentes talibãs” que podem ser mobilizados para outras zonas.

Depois de Kunduz, Sar-e-Pul também caiu para os talibãs, que já se tinham instalado no sábado em Sheberghan, 50 quilómetros a norte da cidade, com a ativista dos direitos humanos Parwina Azimi a confirmar à AFP que os responsáveis administrativos foram retirados para barracas a três quilómetros da localidade.

Na sexta-feira, os insurgentes já tinham capturado sem encontrar resistência a cidade de Zaranj, capital da província de Nimroz (sudoeste), junto à fronteira com o Irão.

Kandahar (sul) e Herat (oeste), segunda e terceira cidades do país, estão também sob ataque talibã há vários dias, tal como Lashkar Gah (sul), capital da província de Helmand, um dos bastiões dos insurgentes.

A rapidez dos avanços dos talibãs apanhou de surpresa tanto observadores como as forças afegãs, apesar da ajuda aérea recebida por parte dos Estados Unidos, que bombardearam posições insurgentes em Sheberghan no sábado.

Segundo a AFP, a incapacidade de Cabul de tomar controlo do norte do país pode ser crucial para as hipóteses de sobrevivência do Governo, dado que aquela região é tradicionalmente considerada como sendo de forte resistência aos insurgentes.

Os talibãs lideraram o país entre 1996 e 2001, impondo a sua versão ultra-rigorosa da lei islâmica.

Em 2001 foram atacados por uma coligação internacional liderada pelos Estados Unidos, que tentavam capturar Osama bin Laden depois dos atentados de 11 de setembro.

JE // FPA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS