Afeganistão: Talibãs dizem estar a negociar rendição da resistência em Panshir, Afeganistão

Os talibãs cercaram as forças de resistência na província de Panshir, uma região do norte do Afeganistão que não controlam, e estão a negociar a sua rendição, disse hoje um porta-voz do movimento rebelde.

Afeganistão: Talibãs dizem estar a negociar rendição da resistência em Panshir, Afeganistão

Afeganistão: Talibãs dizem estar a negociar rendição da resistência em Panshir, Afeganistão

Os talibãs cercaram as forças de resistência na província de Panshir, uma região do norte do Afeganistão que não controlam, e estão a negociar a sua rendição, disse hoje um porta-voz do movimento rebelde.

Os combatentes talibãs têm o inimigo “sitiado dentro de Panshir”, disse o porta-voz principal do movimento rebelde, Zabihullah Mujahid, numa mensagem na rede social Twitter, citada pela agência EFE.

“O Emirado Islâmico está a tentar resolver o problema pacificamente”, disse o porta-voz dos talibãs, que proclamaram o Emirado Islâmico do Afeganistão quando estiveram no poder pela primeira vez (1996-2001).

Os combatentes talibãs posicionaram-se nos acessos à região montanhosa, uma fortaleza natural, a partir das províncias de Takhar e Badakhshan e da cidade de Andarab, na província de Baghlan, acrescentou. Panshir é praticamente a única das 34 províncias do Afeganistão que não caiu nas mãos dos talibãs durante a rápida ofensiva que lhes permitiu conquistar o poder em 15 de agosto.

A região, um vale montanhoso a norte de Cabul, é defendida por centenas de soldados que ali se refugiaram enquanto o resto do país se rendia aos talibãs até ao derrube do governo do Presidente Ashraf Ghani, que fugiu do país. Panshir é também a base da frente da Aliança do Norte, uma força de “senhores da guerra” que foi liderada pelo carismático guerrilheiro Ahmad Shah Massoud, conhecido como o “Leão de Panshir”, que tem resistido e protegido a região durante décadas.

O filho do “Leão de Panshir”, Ahmad Massoud, surgiu como o líder da Frente Nacional de Resistência (FNR), juntamente com centenas de elementos das forças armadas afegãs, para resistir à ofensiva talibã. Ahmad Massoud tornou pública em várias ocasiões nos últimos dias a sua disponibilidade para negociar com os talibãs.

“Estamos prontos para falar com os talibãs, já temos contactos com o movimento, os nossos representantes conjuntos já se reuniram várias vezes”, disse Massoud numa entrevista publicada no domingo, pelo diário Al-Sharq do Qatar.

Massoud não aceita a formação de um “governo extremista” dos talibãs, acrescentou o jornal. Na semana passada, Ahmad Massoud pediu publicamente armas e munições aos Estados Unidos para que a sua milícia possa resistir aos talibãs. Segundo o porta-voz do FNR, Ali Maisam Nazary, este grupo está a preparar-se para “um conflito a longo prazo” com os talibãs.

“Os talibãs não vão durar se continuarem assim, estamos prontos para defender o país e advertimos contra o derramamento de sangue”, acrescentou Nazary no domingo, numa entrevista à televisão Al-Arabiya.

O antigo vice-Presidente Amrullah Saleh também anunciou o seu apoio à resistência contra os talibãs. Amrullah Saleh autoproclamou-se Presidente interino após a fuga de Ashraf Ghani, alegando que lhe acabe assumir o poder na ausência do chefe de Estado, de acordo com a Constituição do país. Saleh tinha confirmado anteriormente a presença de talibãs “perto da entrada de Panshir”, e afirmou no Twitter que uma das principais estradas de acesso estava sob controlo da resistência.

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS