Afeganistão: Líderes da Ásia Central reúnem-se para discutir avanço talibã

O Afeganistão é a “questão que nos preocupa a todos”, reconheceu o Presidente turquemeno, Gurbanguly Berdymukhamedov.

Afeganistão: Líderes da Ásia Central reúnem-se para discutir avanço talibã

Afeganistão: Líderes da Ásia Central reúnem-se para discutir avanço talibã

O Afeganistão é a “questão que nos preocupa a todos”, reconheceu o Presidente turquemeno, Gurbanguly Berdymukhamedov.

Avaza, Turquemenistão, 06 ago 2021 (Lusa) — Os chefes de Estado das cinco antigas repúblicas soviéticas da Ásia Central reuniram-se hoje, no Turquemenistão, para uma cimeira que deverá ser dominada por preocupações sobre o avanço dos talibãs no vizinho Afeganistão.

A cimeira na cidade costeira de Avaza, nas margens do Mar Cáspio, reúne os líderes de Turquemenistão, Cazaquistão, Uzbequistão, Tajiquistão e Quirguistão.

A reunião ocorre numa altura em que os talibãs tentam assumir o controlo de várias grandes cidades afegãs, depois de terem conquistado zonas rurais e fronteiriças numa ofensiva relâmpago nos últimos três meses, após a retirada das forças norte-americanas e dos seus aliados.

O Afeganistão é a “questão que nos preocupa a todos”, reconheceu o Presidente turquemeno, Gurbanguly Berdymukhamedov, em declarações transmitidas na televisão nacional, citadas pela agência France-Presse, ao receber o seu homólogo tajique, Emomali Rakhmon.

A cimeira de Avaza ocorre também numa altura em que a Rússia realiza exercícios militares conjuntos com o Tajiquistão e o Uzbequistão na fronteira afegã.

O chefe de estado-maior do exército russo, Valery Gerasimov, que chegou ao Uzbequistão na quinta-feira, disse que “a principal ameaça à região da Ásia Central vem hoje do lado afegão”, culpando a “retirada apressada das forças estrangeiras” do país.

Embora os talibãs afirmem que não ameaçam outros países da Ásia Central e tenham estabelecido contactos oficiais com o Uzbequistão e o Turquemenistão, os especialistas dizem que uma situação de segurança muito deteriorada no Afeganistão é uma ameaça em si mesma para toda a região.

PNG // PMC

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS