Afeganistão: Exclusão das mulheres da universidade é “absolutamente indefensável”

Os Estados Unidos condenaram hoje a decisão do regime talibã de proibir a admissão de mulheres nas universidades públicas e privadas no Afeganistão, sublinhando que esta posição é “absolutamente indefensável”.

Afeganistão: Exclusão das mulheres da universidade é

Afeganistão: Exclusão das mulheres da universidade é “absolutamente indefensável”

Os Estados Unidos condenaram hoje a decisão do regime talibã de proibir a admissão de mulheres nas universidades públicas e privadas no Afeganistão, sublinhando que esta posição é “absolutamente indefensável”.

“Os talibãs não podem esperar ser um membro legítimo da comunidade internacional até que respeite os direitos de todos os afegãos, especialmente os direitos humanos e as liberdades fundamentais de mulheres e meninas”, sublinhou o embaixador Robert Wood, representante alternativo para assuntos políticos especiais nas Nações Unidas. Num ‘briefing’ do Conselho de Segurança da ONU, em resposta à decisão dos talibãs em banir as mulheres das universidades, Robert Wood condenou “veementemente” esta “posição absolutamente indefensável”.

Leia depois
Guterres “profundamente alarmado” com exclusão de mulheres da universidade no Afeganistão
O secretário-geral da ONU está “profundamente alarmado” com a decisão dos talibãs de proibir a admissão de mulheres nas universidades afegãs (… continue a ler aqui)

“Continuaremos a trabalhar com este Conselho para falar a uma só voz sobre esta questão”, garantiu ainda, de acordo com a nota de imprensa enviada pelo Departamento de Estado norte-americano. O regime talibã do Afeganistão proibiu hoje, “até nova ordem”, a admissão de mulheres nas universidades públicas e privadas de todo o país, anunciou o Ministério do Ensino Superior local, citado pela agência noticiosa afegã Jaama Press. Num curto comunicado, difundido também pela rede de televisão oficial Tolo, o ministério afegão apela à suspensão da admissão de mulheres nas instituições de ensino superior.

O regime talibã do Afeganistão proibiu hoje, “até nova ordem”, a admissão de mulheres nas universidades públicas e privadas

O ministro da Promoção da Virtude e Prevenção do Vício afegão, Mohamad Khalid Hanafi, também precisou hoje que a reabertura dos centros educativos, encerrados desde a chegada ao poder dos talibãs, “depende em grande medida da criação de um ambiente cultural e religioso decente”. As autoridades talibãs têm sido criticadas pelo encerramento dos centros educacionais e pela exclusão de estudantes do sexo feminino do ensino, num quadro mais vasto de medidas discriminatórias contra as mulheres, que as afastam dos empregos e acabam por impor o respetivo dia a dia. Desde agosto que as autoridades impedem as alunas do ensino superior de regressarem às aulas, autorizando apenas os alunos. Em fevereiro, o processo de reabertura das universidades terminou após a imposição da segregação por sexo nas salas de aula.

Impala Instagram


RELACIONADOS