Peixe enlatado lidera exportações cabo-verdianas de bens

As exportações cabo-verdianos de bens, excluindo o setor do turismo, caíram 8,8% nos primeiros sete meses de 2019, para pouco mais de 30 milhões de euros, essencialmente de peixe enlatado, segundo o banco central cabo-verdiano.

Peixe enlatado lidera exportações cabo-verdianas de bens

Peixe enlatado lidera exportações cabo-verdianas de bens

As exportações cabo-verdianos de bens, excluindo o setor do turismo, caíram 8,8% nos primeiros sete meses de 2019, para pouco mais de 30 milhões de euros, essencialmente de peixe enlatado, segundo o banco central cabo-verdiano.

De acordo com cálculos feitos hoje pela Lusa com base no mais recente relatório estatístico do banco central, as exportações desceram de 3.668 milhões de escudos (33,2 milhões de euros) nos primeiros sete meses de 2018 para 3.346 milhões de escudos) 30,3 milhões de euros) no mesmo período deste ano.

Só em peixe enlatado e conservas, Cabo Verde exportou até julho último o equivalente a 1.859 milhões de escudos (16,8 milhões de euros), uma quebra de 15,6% face ao mesmo período de 2018.

O peixe enlatado representou um peso de 65,5% do total das exportações cabo-verdianas de bens, o que exclui os serviços ligados ao turismo, a principal atividade económica do país, com a meta oficial de garantir um milhão de turistas por ano até 2021.

Peixe congelado, calçado e vestuário são outros produtos que Cabo Verde exporta, embora em menor proporção, com um peso face ao total, respetivamente, de 17,6%, 4,7% e 8,8%.

No sentido contrário, as importações feitas por Cabo Verde até julho ascenderam a 17.008 milhões de escudos (154,1 milhões de euros), valor praticamente inalterado face aos primeiros sete meses de 2018.

Quase 40% das importações cabo-verdianas de janeiro a julho foram relativas a bens de consumo e mais de 10% a combustíveis.

PVJ // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS