Juntamente com o namorado, mãe vende o próprio filho em rede de pedofilia

Uma mãe vendeu o filho de nove anos a uma rede de pedofilia na Internet, durante dois anos

Uma mulher alemã, de 48 anos, foi condenada esta terça-feira, dia 7 de agosto, a 12 anos de prisão por vender o seu próprio filho a uma rede de pedofilia. A mãe, juntamente com o namorado, de 39 anos, obrigava a criança a prostituir-se desde 2015. O menino foi abusado durante dois anos.

LEIA MAIS: Jovem autista é enjaulada, torturada e violada por família

Berrin T. vivia com o namorado, Christian L., em Staufen, no sul da Alemanha, e «vendiam» o menino através da dark web (uma parte da Internet, escondida intencionalmente da Internet visível. Este conjunto de redes encriptadas é conhecida por ser utilizada por pessoas interessadas no mercado negro online).

Mãe confessa também ter abusado sexualmente de filho

O casal foi detido e acabou por confessar que vendia o menor a pedófilos em troca de dinheiro. Um dos arguidos do caso, um homem de 44 anos, afirmou que pagou cerca de 50 euros para ter relações com a vítima. Mãe e namorado ainda admitiram que chegaram, eles próprios, a abusar sexualmente do rapaz.

O julgamento começou em junho. O casal foi acusado de 60 crimes incluindo prostituição forçada, abuso sexual agravado, violação, intimidação verbal, escravidão e distribuição de pornografia infantil. Para além do tempo de prisão, os agressores terão de pagar uma indemnização no valor de 42.500 euros por danos ao rapaz e a uma menina de três anos que também foi abusada.

VEJA AINDA: Detido homem de 40 anos que abusava sexualmente de criança em loja de Lisboa


RELACIONADOS

Juntamente com o namorado, mãe vende o próprio filho em rede de pedofilia

Uma mãe vendeu o filho de nove anos a uma rede de pedofilia na Internet, durante dois anos