Macau baixa alerta de tempestade, tufão afasta-se do território

As autoridades de Macau baixaram o sinal 8 de tufão, o terceiro mais elevado na escala de alertas, para o nível 3, já que o tufão Nangka se está a afastar do território.

Macau baixa alerta de tempestade, tufão afasta-se do território

Macau baixa alerta de tempestade, tufão afasta-se do território

As autoridades de Macau baixaram o sinal 8 de tufão, o terceiro mais elevado na escala de alertas, para o nível 3, já que o tufão Nangka se está a afastar do território.

O sinal foi reduzido às 19:00 [12:00 em Lisboa] e indicaram os Serviços Meteorológicos e Geofísicos de Macau (SMG) em comunicado, com as autoridades a anunciarem também o fim do estado de prevenção imediata.

O tufão Nangka encontrava-se a cerca de 500 quilómetros de Macau “e está a afastar-se gradualmente” do território, acrescentaram.

A passagem do tufão Nangka obrigou hoje à suspensão e cancelamento de voos no Aeroporto Internacional de Macau, onde se encontraram retidos cerca de 60 passageiros.

As autoridades deram conta de 11 pequenos incidentes sem gravidade desde que foi emitido o sinal 8, às 07:30 (00:30 em Lisboa).

Chegaram a estar 23 pessoas nos quatros centros de acolhimento de emergência.

A atividades letiva nas escolas chegou a ser suspensa, assim como os transportes públicos e circulação nas três pontes que ligam a península de Macau às ilhas e a ponte Flor de Lótus.

A escala de alerta de tempestades tropicais é formada pelos sinais 1, 3, 8, 9 e 10, que são emitidos tendo em conta a proximidade da tempestade e a intensidade dos ventos.

Para este ano, as autoridades de Macau disseram prever quatro a seis tempestades tropicais no território, algumas delas podendo mesmo “atingir o nível de tufão severo ou super tufão”.

Desde 2017, dois tufões obrigaram as autoridades a emitir o alerta máximo. Em setembro de 2018, a passagem do tufão Mangkhut por Macau deixou prejuízos económicos diretos e indiretos no valor de 1,74 mil milhões de patacas (180 milhões de euros).

O Mangkhut provocou 40 feridos e inundações graves no território, onde o sinal máximo de tempestade tropical esteve içado várias horas. Ao todo, as autoridades retiraram 5.650 cidadãos das zonas baixas e 1.346 pessoas recorreram a centros de abrigo de emergência.

Um ano antes, o tufão Hato (posteriormente denominado de Yamaneko pelas autoridades locais), apesar de se caracterizar pela mesma intensidade do Mangkhut, causou 10 mortos, 240 feridos e prejuízos avaliados em 12,55 mil milhões de patacas (1,32 mil milhões de euros).

MIM (JMC) // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS