Mação une-se para ajudar Arlindo Marques no processo instaurado pela CELTEJO

Em Mação foi criado um movimento solidário para ajudar Arlindo Marques com o processo que lhe foi instaurado pela CELTEJO.

Mação une-se para ajudar Arlindo Marques no processo instaurado pela CELTEJO

Em Mação foi criado um movimento solidário para ajudar Arlindo Marques com o processo que lhe foi instaurado pela CELTEJO.

«Somos todos Arlindo Marques», assim se chama o movimento criado pelas pessoas da terra para ajudar Arlindo Consolado Marques nas custas judiciais do processo interposto pela empresa Celtejo, de Vila Velha de Ródão.

A página de facebook conta com Paulo Constantino, porta-voz da ProTejo, como gestor e Arlindo Marques como administrador.

Este movimento surge como forma de solidariedade a Arlindo que desde 2015 que tem denunciado a poluição no Tejo e como consequência foi-lhe interposto um processo judicial em que lhe eram exigidos 250 mil euros.

As pessoas da terra juntaram-se e um crowdfunding – plataforma online de recolha de fundos para uma causa – foi criado com todas as informações sobre os custos do processo e o que já se conseguiu juntar.

LEIA MAIS: Poluição no Tejo: Entidades responsáveis acusadas de ‘fecharem os olhos’ a catástrofe ambiental

Esta quinta-feira, dia 8 de fevereiro, a plataforma conta já com 8 093 € angariados. Falámos com Arlindo Marques que nos contou como se tem sentido com toda a ajuda que lhe tem sido dada.

«Sinto-me muito bem, estou orgulhoso e feliz, sinto-me uma pessoa importante», revela manifestamente orgulhoso.

O que está a ser feito

Camisolas com a estampa «Sou Arlindo» cujo valor de 7,50 euros reverte a favor das custas judiciais de Arlindo é uma das ferramentas de angariação de fundos mas há mais. Um teatro solidário em Ortiga, de onde Arlindo é natural, e outras iniciativas estão a ser tomadas por parte da câmara municipal de Mação.

 

«As pessoas querem dar e dão sempre que podem.»

Arlindo afirma que não esquece o apoio que lhe têm dado e que chega a ter pessoas a darem-lhe dinheiro em mãos ou a pedirem-lhe o NIB para fazerem transferências bancárias. «O Guardião do Tejo» explica que isto acontece porque as pessoas têm muita vontade de ajudar e que dado a ser um meio pequeno, muitos são os que não confiam ou não percebem como podem contribuir no crowdfunding. 

«Agarro no dinheiro que me dão e eu próprio o coloco no crowdfundig», afirma. Arlindo acrescenta ainda: «Isto é que me ajuda muito, eles [CELTEJO] não querem tirar o processo».

Na página de crowdfunding é explicado quanto dinheiro vai para cada coisa.

Comissões – 1.885 €
Custas processuais – 2.000 €
Advogados – 10.000 €
Pareceres/perícias de especialistas – 2.000 €
Deslocações – 2.000 €
Recursos judiciais – 2.000 €
T-Shirts – 2.000 €
Prazo previsto para processo: 2 anos

O valor que não seja utilizado no âmbito do processo será destinado à restauração fluvial do rio Tejo.

 O que já foi pago

Arlindo revela que só para a contestação são precisos «1500€» dos quais 700€ já foram pagos pelo próprio. Como não tinha o valor total da contestação, o advogado terá acordado dividir os custos e quando for altura de ir a tribunal pagará o restante valor.

Para já não há data para ir a tribunal, mas o «guardião do tejo» afirma que ainda deverá demorar.

Quanto aos acontecimentos das últimas semanas, Arlindo não tem dúvidas: «Vão jogar a 100% a meu favor».

ESPREITE TAMBÉM: ProTejo acusa entidades de limparem o Tejo com água de Espanha

 

Impala Instagram


RELACIONADOS