Incêndio em Tondela: conheça as histórias dos que perderam a vida

Na noite de sábado, um incêndio numa associação recreativa em Vila Nova da Rainha, Tondela, matou oito pessoas. Há ainda 38 feridos: quatro estão em estado crítico e uma jovem de 15 anos está em coma induzido.

Incêndio em Tondela: conheça as histórias dos que perderam a vida

Incêndio em Tondela: conheça as histórias dos que perderam a vida

Na noite de sábado, um incêndio numa associação recreativa em Vila Nova da Rainha, Tondela, matou oito pessoas. Há ainda 38 feridos: quatro estão em estado crítico e uma jovem de 15 anos está em coma induzido.

O incêndio que deflagrou no sábado à noite, dia 13, durante um jantar numa associação recreativa de Vila Nova da Rainha, concelho de Tondela, fez oito mortos e 38 feridos, entre graves e ligeiros.  Das cinco vítimas do incêndio de sábado em Tondela, Viseu, encaminhadas para hospitais de Lisboa, duas estão com «prognóstico reservado» e três, incluindo uma jovem de 15 anos, encontram-se «estáveis», disseram hoje à agência Lusa fontes hospitalares.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que visitaram o local, expressaram solidariedade aos familiares das vítimas. No local da tragédia foram triadas 46 vítimas dos incêndios, oito delas foram vítimas mortais.

LEIA AINDA: Câmara de Tondela decreta três dias de luto pelas vítimas de incêndio

Os funerais das vítimas começam esta terça-feira dia 15 e as identidades já são conhecidas.

Maria Máxima da Silva, de 52 anos era natural de Lisboa e vivia em Vila Nova da Barquinha. Foi a filha, através da página de Facebook, que confirmou a morte, escreve o Correio da Manhã. É a única mulher entre as vítimas, e deixa dois filhos. Há três meses, Maria tinha salvado o marido dos fogos de Outubro. Foi ao torneio de sueca com uma amiga e o marido ficou em casa, uma  vez que tem uma perna amputada e vários problemas de saúde. Quando soube da morte da esposa, teve de ser levado para o hospital.

Anselmo Abreu, de 56 anos, era casado, tinha uma filha, e era dono de uma empresa ligada à construção civil, a Ferrabreu. Vivia em Vila Nova da Rainha.

É com enorme pesar que venho anunciar a morte de um colega,amigo e companheiro de baixos e altos desta empresa,o socio gerente Anselmo Abreu

Publié par Construções Ferrabreu Lda sur dimanche 14 Janvier 2018

Sérgio Santos, de 71 anos, era dono de um supermercado em Tondela e fundou a Associação Cultural, Recreativa e Humanitária de Vila Nova da Rainha, onde acabou por morrer.

Vítor Lopes, de 64 anos, era Delegado da Federação de futebol e ajudou a organizar o Euro 2004. Estava com o irmão, que assistia ao jogo Sp.Braga-Benfica. Dois dias depois de enterrar a mãe, de 93 anos, decidiu ir com o irmão passar o fim-de-semana ao local onde nasceram. Ficou encurralado atrás da porta.

Vítor Coimbra é outra das vítimas. O homem de 64 anos, trabalhava no ramo da restauração e respondia pela alcunha de «pasteleiro».

Bernardo Antunes tinha 52 anos, natural de Lobão da Beira. Trabalhou vários anos na Alemanha e tinha regressado com a mulher e dois filhos. Horácio Vale, natural de Besteiros, morreu com 64 anos. Deixa mulher e três filhos e uma paixão imensa pelas cartas. A última vítima é Manuel Marques, de 75 anos. Motorista reformado, era viúvo e deixa dois filhos.

Há ainda a relatar o caso da jovem de 15 anos que está em coma induzido. Lara Borges estava a vender rifas e entrou no torneio, por brincadeira. No Hospital Dona Estefânia (Centro Hospitalar de Lisboa Central) “está internada na Unidade de Cuidados Intensivos uma jovem de 15 anos, estável, sedada e ventilada, mas com prognóstico favorável”, explicou fonte oficial deste hospital.

Impala Instagram


RELACIONADOS