Imigração ilegal nos EUA não aumenta taxas de criminalidade

A imigração ilegal que entra nos EUA não contribui para o aumento de taxas de criminalidade, ao contrário do que sugerem setores conservadores norte-americanos, revela um estudo hoje publicado pela organização jornalística Marshall Project.

Imigração ilegal nos EUA não aumenta taxas de criminalidade

Imigração ilegal nos EUA não aumenta taxas de criminalidade

A imigração ilegal que entra nos EUA não contribui para o aumento de taxas de criminalidade, ao contrário do que sugerem setores conservadores norte-americanos, revela um estudo hoje publicado pela organização jornalística Marshall Project.

Uma equipa de investigadores, liderada pela jornalista Anna Flagg, concluiu que a maioria das áreas pesquisadas registou declínio na criminalidade, entre 2006 e 2017, independentemente da presença de imigrantes ilegais.

O Presidente dos EUA, Donald Trump, bem como várias figuras do Partido Conservador, têm lutado pela intensificação do controlo de fronteiras, alegando que a imigração ilegal é uma das principais causas para o aumento da criminalidade no país.

O estudo agora revelado contraria este pressuposto.

“As áreas com a maior imigração ilegal parecem apresentar a maior queda nas taxas de criminalidade, embora a diferença seja pequena e incerta”, revela a pesquisa hoje divulgada.

Para fazer o relatório, o Projeto Marshall cruzou dados de imigrantes ilegais registados no centro Pew Research com dados sobre crimes registado junto da polícia federal de investigação – FBI (Federal Bureau of Investigation).

Ao analisar com mais profundidade a conexão entre o fluxo de população não documentada residente em várias áreas metropolitanas dos Estados Unidos com os diferentes tipos de crimes, os especialistas também não conseguiram estabelecer uma relação.

Na realidade, a maioria dos crimes apresentava tendências de evolução lineares, o que prova que a imigração ilegal tem “pouco ou nenhum efeito” sobre o tipo de crime, nas várias áreas geográficas examinadas.

O assassinato foi o único tipo de crime que pareceu mostrar um aumento durante o período de intensificação da presença de imigrantes ilegais, mas a diferença foi “pequena e incerta”, segundo os autores.

“Ao separar crimes violentos e de propriedade nas diferentes tipologias – crime agravado, roubo, assassinato, roubo e furto – não se encontra uma relação direta com o aumento de pessoas não documentadas, entre 2007 e 2016”, explicou Anna Flagg no seu estudo.

Os pesquisadores ressaltaram que, para os imigrantes indocumentados, ser preso por qualquer motivo significa enfrentar uma possível deportação, por isso faz sentido que as suas taxas de criminalidade sejam menores.

Os resultados deste estudo assemelham-se aos encontrados em outros estudos sobre a relação entre a imigração ilegal e o crime.

Por exemplo, dois relatórios divulgados no ano passado pelo Cato Institute concluíram que os imigrantes ilegais no Texas cometeram menos crimes do que a população geral daquele estado e descobriram que pessoas sem documentos têm menor probabilidade de serem presas.

RJP // ANP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS