Governo timorense propõe condecorar Estado português nos 20 anos do referendo

O Governo timorense anunciou que propôs ao Presidente da República condecorar o Estado português com a Ordem de Timor-Leste, por ocasião da comemoração do 20.º aniversário do referendo de independência, no próximo dia 30 de agosto.

Governo timorense propõe condecorar Estado português nos 20 anos do referendo

Governo timorense propõe condecorar Estado português nos 20 anos do referendo

O Governo timorense anunciou que propôs ao Presidente da República condecorar o Estado português com a Ordem de Timor-Leste, por ocasião da comemoração do 20.º aniversário do referendo de independência, no próximo dia 30 de agosto.

Além do Estado português, o Governo propôs ainda ao Presidente da República uma lista de 11 outros Estados, pessoas e organizações que considera que devem ser condecorados na mesma ocasião.

Entre os propostos condecorados — a decisão final cabe ao Presidente da República, Francisco Guterres Lu-Olo — estão ainda o ex-embaixador português Fernando d’Oliveira Neves e o jornalista da agência Lusa António Sampaio.

São ainda propostos o ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan (a título póstumo), o ex-Presidente norte-americano Bill Clinton, as jornalistas Marie Colvin, Irene Slegt e Minka Nijhuis, o senador dos Estados Unidos lusodescendente Marc Pacheco.

A lista inclui ainda a tailandesa Chalidda Takaroensuk e o australiano Michael Hodgman (a título póstumo).

A proposta inclui a central sindical australiana ACTU, o Estado de Vanuatu e as quatro mulheres do grupo conhecido como “Liverpool Four” – Andrea Needham, Joanna Wilson, Lotte Kronlid, Angie Zeltner — que em 1996 entraram na fábrica da British Aerospace em Warton, em Lancashire, destruindo com ferramentas caseiras um jato Hawk destinado à Indonésia.

A lista foi recomendada ao primeiro-ministro Taur Matan Ruak numa carta enviada em 29 de julho por Xanana Gusmão, na qualidade de presidente da “Comissão Organizadora das Celebrações do 20.º Aniversário do Referendo e da Missão da INTERFET”.

“A Ordem de Timor-Leste, a condecoração com o maior prestígio e dignidade da nação foi criada para reconhecer e agradecer aos nacionais e estrangeiros, que, pelo seu comportamento ou por atos praticados, tiveram um contributo significativo em benefício do país, dos timorenses ou da Humanidade”, refere a carta, a que a Lusa teve acesso.

“Propomos que cada um dos nomes sugeridos seja agraciado com um dos graus da “Ordem de Timor-Leste”, sublinha Xanana Gusmão na carta.

A lista foi apresentada, debatida e aprovada em Conselho de Ministros em 31 de julho e enviada posteriormente para a Presidência da República, que tem a competência para decidir sobre a atribuição da condecoração e dos seus vários graus: Colar, Medalha ou Insígnia.

 

ASP // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS