Família recebeu caixa com o pénis do jogador assassinado

Daniel Correa foi assassinado e mutilado a 27 de outubro. A família recebeu o seu pénis dentro de uma caixa.

Família recebeu caixa com o pénis do jogador assassinado

Família recebeu caixa com o pénis do jogador assassinado

Daniel Correa foi assassinado e mutilado a 27 de outubro. A família recebeu o seu pénis dentro de uma caixa.

Foi a 27 de outubro de 2018 que o jogador de futebol Daniel Correa, de 24 anos, foi assassinado e mutilado. O corpo do jovem futebolista, de 24 anos, foi encontrado com órgãos genitais mutilados e com a cabeça quase decepada numa estrada deserta em São José dos Pinhais, no Brasil. Um mês depois da tragédia, a família de Daniel Correa recebeu em casa, dentro de uma caixa, o pénis do jovem.

Regina Corrêa, tia da vítima, em declarações ao tribunal, indicou ter recebido o órgão genital do sobrinho. «Foi o pior dia da minha vida. Receber aquela caixa com o pénis cortado. Pelo que eu soube dos depoimentos, ele foi muito maltratado», disse. O Instituto de Medicina Legal enviou o pénis do rapaz para a agência funerária que, por sua vez, o reencaminhou para os familiares da vítima.

Daniel Correa foi morto pelo empresário

Daniel Correa foi morto pelo próprio empresário. De acordo com o jornal Metro, Edison Brittes Júnior, de 38 anos, matou o jovem  porque este, alegadamente, terá tentado violar a sua esposa. O empresário contou aos autoridades que encontrou Daniel no seu quarto em roupa interior e em cima da sua mulher. Após se ter deparado com a situação, agrediu o jovem durante cinco minutos. Depois, com a ajuda de amigos, colocou o corpo dentro do porta-bagagens do seu carro, mas foi numa zona de floresta que Edison Brittes Júnior perdeu a cabeça e esfaqueou Daniel, cortando-lhe o pénis.

 

LEIA MAIS

Jogador poderá ter sido castrado ainda vivo

 Noite de sexo antes de tortura

Previsão do tempo para quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

 

Impala Instagram


RELACIONADOS