Enrique Arce: «Sou um português que nasceu em Espanha»

Ator da casa de papel explicou, no programa ‘Os dois à Quinta’, da Aralc Media Group, o que o liga ao nosso País.

Enrique Arce: «Sou um português que nasceu em Espanha»

Enrique Arce: «Sou um português que nasceu em Espanha»

Ator da casa de papel explicou, no programa ‘Os dois à Quinta’, da Aralc Media Group, o que o liga ao nosso País.

«Sou um português que nasceu em Espanha», afirmou ontem o ator da série “A casa de papel” para explicar a sua ligação forte ao nosso País, que remonta ao ano de 2007.

«Primeiro, quando eu fui a Portugal para fazer o filme “A arte de roubar”, em 2007 com o Ivo Canelas, o Nicolau Breyner, a Soraia Chaves, juro que me apaixonei de imediato. É como se fosse algo de uma vida passada, não há explicação. Fiquei muito amigo do Ivo Canelas, do Aldo Lima, entre muitos. Eu não tina essa conexão com atores espanhóis ou dos EUA, foi algo estranho. Ia a Alfama todos os dias ouvir fado. Comprei todos os CDs da Amália Rodrigues e é o que ouço no carro todos os dias», sublinhou.

Lisboa e Porto estão, também, no topo das preferências do ator: «pensava que a minha cidade favorita em todo o mundo era Lisboa, até que conheci o Porto. Os lisboetas e os portuenses são tão diferentes. São mais como as pessoas da minha terra em Espanha. Dizem palavrões (risos)».

4ª temporada da Casa de Papel é a «série mais vista na história da humanidade»

A Casa de Papel já destronou ‘Game of Thrones’ no topo da série mais vista de sempre em todo o mundo. A informação foi dada por Enrique Arce no decorrer do programa. O ator relembrou o início das gravações daquela que é, agora, o maior sucesso da «história da humanidade» e avançou ter sido a contragosto que aceitou o desafio para interpretar a personagem Arturito:  «O meu agente falou no projeto e eu não tinha vontade de fazer. Acabava de filmar ‘Knightfall’, para a HBO, nos EUA, e não queria ficar em Espanha a fazer uma série espanhola. Achava horrível. O meu agente disse-me que eram são cinco episódios e que depois me matavam. Mas depois do 2º episódio disseram que se estavam a rir tanto com o personagem e que já não me iam matar. Pediram-me para ficar. Depois foi algo de vaidade da minha parte que me levou a decidir ficar. Mudou a minha vida profissional».

Subordinado ao tema Portugal e Espanha, o programa de ontem “Os dois à quinta”, da Aralc Media Group, junta várias personalidades de ambos os países. Ao ator Enrique Arce juntou-se o  cineasta português, Luís Ismael; a cantora e atriz, Núria Fergó; a fadista Piedade Fernandes (que cantou um tema para a mítica série); o ator Ivo Canelas e o jornalista e especialista em cinema, Mário Augusto.

Veja a entrevista completa aqui.

Texto: Cynthia Valente

LEIA MAIS

Meteorologia: Previsão do tempo para sábado, 22 de agosto

 

Impala Instagram


RELACIONADOS