Web Summit começa hoje em Lisboa com Edward Snowden na abertura

O norte-americano que denunciou as práticas de espionagem da Agência de Segurança Nacional dos EUA, Edward Snowden, participa hoje na abertura da Web Summit, que decorre até 07 de novembro

Web Summit começa hoje em Lisboa com Edward Snowden na abertura

Web Summit começa hoje em Lisboa com Edward Snowden na abertura

O norte-americano que denunciou as práticas de espionagem da Agência de Segurança Nacional dos EUA, Edward Snowden, participa hoje na abertura da Web Summit, que decorre até 07 de novembro

Lisboa, 04 nov 2019 (Lusa) — O norte-americano que denunciou as práticas de espionagem da Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA, Edward Snowden, participa hoje na abertura da Web Summit, que decorre até 07 de novembro no Parque das Nações, em Lisboa.

Snowden vai participar por videoconferência, uma vez que se encontra asilado na Rússia, para onde fugiu depois de ter revelado informação confidencial e ser procurado pela justiça norte-americana.

Segundo a organização, Snowden vai responder a questões sobre o seu trabalho para a NSA, como ajudou a construir um sistema de vigilância que reuniu milhões de dados de cidadãos americanos e porque decidiu expor publicamente aquilo que considerou práticas ilegais da NSA.

Além de Snowden, o cofundador e presidente executivo da Web Summit, Paddy Cosgrave, já tinha anunciado outros oradores “como o CEO [presidente executivo] do Tinder, o ‘chairman’ [presidente do Conselho de Administração] da Huawei, o CEO da Wikimedia, dois comissários europeus e muitos outros”.

“Esperamos 70 mil participantes, incluindo 1.800 ‘startup’, 1.500 investidores e dois mil membros de ‘media'”, afirmou à agência Lusa Paddy Cosgrave.

Além de assumir que a organização está “muito entusiasmada para ver algumas das iniciativas, como as mulheres na tecnologia e o ‘planet:tech'”, Paddy Cosgrave revelou que a edição de 2019 está também focada nas alterações climáticas.

“Estamos a caminhar na direção de um evento livre da utilização de plástico e muito do conteúdo que vamos ter no ‘planet:tech’ assenta no papel que a tecnologia pode assumir no combate às alterações climáticas. E isso acaba por realçar o trabalho que a Web Summit pode fazer, ao criar uma rede de conexões ambientais que podem traduzir-se em projetos pós evento”, defendeu.

Devido ao acordo firmado, em 2018, entre o Governo, a Câmara Municipal de Lisboa e Paddy Cosgrave, a Web Summit vai permanecer na capital portuguesa durante 10 anos.

“Temos um escritório em Lisboa, onde trabalham 12 pessoas, e estamos a planear expandir a nossa presença em Portugal. Estamos neste momento a contratar para várias áreas, desde desenvolvimento de ‘software’ até organização de eventos”, acrescentou o cofundador da Web Summit.

MPE (SRYS) // MSF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS