Wall Street fecha sem rumo mas perto do equilíbrio em sessão calma

A bolsa nova-iorquina encerrou sem rumo numa sessão relativamente calma, com os investidores a digerirem a descida das taxas de juro por parte da Reserva Federal (Fed) na véspera.

Wall Street fecha sem rumo mas perto do equilíbrio em sessão calma

Wall Street fecha sem rumo mas perto do equilíbrio em sessão calma

A bolsa nova-iorquina encerrou sem rumo numa sessão relativamente calma, com os investidores a digerirem a descida das taxas de juro por parte da Reserva Federal (Fed) na véspera.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average recuou 0,19%, para os 27.094,79 pontos.

O tecnológico Nasdaq cedeu 0,07%, para as 8.182,88 unidades.

O índice alargado S&P500 estabilizou nos 3.006,79 pontos, permanecendo próximo do seu recorde histórico que atingiu no final de julho.

Depois de terem começado a sessão em alta, os principais índices da praça nova-iorquina foram perdendo os ganhos, com o Dow Jones afetado pelo recuo de vários dos seus pesos pesados, como a Walt Disney, que desvalorizou 2,6%, e a Boeing, que perdeu 0,5%.

Ao contrário, a Microsoft, que ganhou 1,8%, teve a maior progressão no seio deste índice depois de ter anunciado um programa de compra de 40 mil milhões de dólares (36 mil milhões de euros) de ações próprias e um aumento de 11% nos seus dividendos trimestrais.

Os atores de mercado pareceram sobretudo marcar uma pausa, um dia depois de a Fed ter descido em 25 pontos-base (0,25%) a sua taxa de referência, o que aconteceu pela segunda vez este ano.

Antecipada em muito pelos investidores, esta diminuição colocou a sua principal taxa diretora no intervalo entre 1,75% e 2%.

Entretanto, os investidores também se resguardaram na assunção de riscos, esperando pelas últimas evoluções no conflito comercial entre os EUA e a China, que já dura há mais de um ano.

Uma reunião, classificada de técnica, decorreu hoje em Washington, nas instalações do Representante dos EUA para o Comércio (USTR, na sigla em Inglês), entre negociadores chineses e norte-americanos, para preparar as negociações bilaterais previstas para o início de outubro.

No mercado obrigacionista, a taxa da dívida pública norte-americana a 10 anos evoluía nos 1,782%, às 21.30 de Lisboa, em recuo ligeiro face à da véspera (1,796%).

RN // JMR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS