Wall Street fecha sem rumo mas com variações mínimas

A bolsa nova-iorquina fechou hoje sem rumo definido, mas sem variações significativas, depois da decisão da Reserva Federal (Fed) de manter as suas taxas de juro e uma série de resultados trimestrais de cotadas.

Wall Street fecha sem rumo mas com variações mínimas

Wall Street fecha sem rumo mas com variações mínimas

A bolsa nova-iorquina fechou hoje sem rumo definido, mas sem variações significativas, depois da decisão da Reserva Federal (Fed) de manter as suas taxas de juro e uma série de resultados trimestrais de cotadas.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average fechou com um avanço de 0,04%, para os 28.734,45 pontos, e o tecnológico Nasdaq outro tanto, para os 9.275,16.

Ao contrário, o alargado S&P500 cedeu 0,09%, para as 3.273,40 unidades.

Os principais índices da praça nova-iorquina estiveram a evoluir em terreno positivo ao longo da sessão, mas infletiram perto do final, depois da primeira reunião de política monetária da Fed este ano e das afirmações do seu presidente.

Como antecipado, a Fed manteve as suas taxas diretoras no intervalo situado entre 1,50% e 1,75%.

O presidente da instituição, Jerome Powell, sublinhou, durante uma conferência de imprensa, que o novo corona vírus na China lançava a incerteza sobre as perspetivas económicas mundiais.

A sessão bolsista de hoje foi também ritmada pela divulgação de vários resultados empresariais de integrantes do S&P500.

Assim, a McDonald’s divulgou resultados superiores ao esperado no último trimestre de 2019, graças a uma subida sustentada das suas vendas mundiais, o que permitiu que a sua ação fechasse com uma progressão de 1,92%.

Também a General Electric, que fechou com uma valorização de 10,32%, superou nitidamente as antecipações, graças a um desempenho ligeiramente acima das expetativas da sua divisão de Energia.

Por seu lado, e ao contrário, a Boeing anunciou a sua primeira perda anual em 22 anos, devido aos problemas do seu aparelho 737 MAX, que tem estado no solo desde março, depois de dois acidentes com vários mortos.

Em todo o caso, o custo da crise do modelo MAX, estimado em 18,4 mil milhões de dólares (16,7 mil milhões de euros), situa-se no limite inferior do intervalo avançado pelos analistas, delimitado entre os 16 mil milhões e os 25 mil milhões de dólares. A ação da Boeing fechou em queda de 1,72%.

Ao contrário, Starbucks (-2,73%), AT&T (-3,97%) e EBay (-4,5%) fecharam com perdas, depois de terem apresentado resultados pouco convincentes.

Por seu lado, a Apple, que, depois do fecho da sessão, apresentou uma forma olímpica com volume de negócios e lucros recordes, progrediu 2,09%, com a valor da sua ação a atingir níveis inéditos, nos 324,34 dólares.

Pouco mais de um quarto das empresas do S&P500 já divulgaram os seus resultados trimestrais. O gabinete Factset estima que as empresas integrantes deste índice alargado de Wall Street devem registar um recuo do seu lucro por ação de 1,53% no quarto trimestre.

Na frente dos indicadores, as promessas de vendas de casas nos EUA caíram em dezembro, ao contrário do esperado pelos analistas, segundo os dados da Associação dos Agentes Imobiliários, divulgados hoje.

RN // SR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS