Wall Street fecha sem rumo mas com mais recordes do Nasdaq e S&P500

A bolsa nova-iorquina fechou hoje sem rumo e com variações mínimas, mas suficientes para novos recordes, pelo segundo dia consecutivo, dos índices Nasdaq e S&P500, depois da audição do presidente da Reserva Federal (Fed) na Câmara dos Representantes.

Wall Street fecha sem rumo mas com mais recordes do Nasdaq e S&P500

Wall Street fecha sem rumo mas com mais recordes do Nasdaq e S&P500

A bolsa nova-iorquina fechou hoje sem rumo e com variações mínimas, mas suficientes para novos recordes, pelo segundo dia consecutivo, dos índices Nasdaq e S&P500, depois da audição do presidente da Reserva Federal (Fed) na Câmara dos Representantes.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o seletivo Dow Jones Industrial Average perdeu menos de um ponto para fechar nos 29.276,34.

Ao contrário, o tecnológico Nasdaq ganhou 0,11%, para as 9.638,94 unidades, e o alargado S&P500 avançou 0,17%, para as 3.357,75.

“Os investidores tinham os olhos fixos no testemunho do presidente da Fed, Jerome Powell, mas ele não fez qualquer anúncio relevante. É a razão pela qual os índices pouco mexeram hoje”, considerou Alan Skrainka, da Cornerstone Wealth Management.

O dirigente da Fed felicitou-se com o estado da economia dos EUA e uma política monetária que considerou adequada.

Perante a Câmara dos Representantes, Powell tornou a mencionar os riscos provocados pela epidemia do novo coronavírus, estimando que esta “pode provocar perturbações na China, com repercussões no resto da economia mundial”.

Mas na praça nova-iorquina os investidores não pareceram particularmente preocupados, levando o Nasdaq e S&P500 a níveis inéditos no fecho da sessão pela sexta vez em sete dias de transações.

“Há inquietações quanto ao vírus e ao seu impacto no crescimento (da economia) mundial. Mas considerando experiências passadas, não acredito que existam razões para os investidores entrarem em pânico ou agirem de maneira irracional”, avançou Skrainka.

O balanço da epidemia passou hoje a marca dos mil mortos, mas a Organização Mundial de Saúde estimou que existe uma “hipótese realista de parar” a propagação do vírus, apesar de o continuar a considerar “uma grave ameaça” para o mundo.

RN // SR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS