Wall Street fecha sem direção, mas tecnologia em alta dá novo recorde ao Nasdaq

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje sem direção, com uma separação entre o índice Nasdaq, que estabeleceu novo recorde, e os outros, a sofrerem o essencial das consequências do aumento das infeções com o novo coronavírus nos EUA.

Wall Street fecha sem direção, mas tecnologia em alta dá novo recorde ao Nasdaq

Wall Street fecha sem direção, mas tecnologia em alta dá novo recorde ao Nasdaq

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje sem direção, com uma separação entre o índice Nasdaq, que estabeleceu novo recorde, e os outros, a sofrerem o essencial das consequências do aumento das infeções com o novo coronavírus nos EUA.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice que junta empresas de cariz predominantemente tecnológico valorizou 0,53%, para os 10.547,75 pontos, o que lhe permitiu fixar o 26.º sexto recorde neste ano e o quinto em julho.

Este comportamento agregado assenta nas valorizações das suas componentes, em particular nas do grupo já designado por GAFAM, a saber, Google, cuja ‘holding’, a Alphabet, avançou 1,00%, Amazon (3,29%), Facebook (0,38%), Apple (0,36%) e Microsoft (0,70%).

Ao contrário, o índice seletivo Dow Jones Industrial Average cedeu 1,39%, para as 25.706,09 unidades, e o alargado S&P500 recuou 0,56%, para as 3.152,05.

Os analistas da Charles Schwab salientaram que os investidores estão a mostrar “prudência perante a incerteza que existe sobre as consequências da subida contínua de novos casos de covid-19 nos EUA”.

Números semanais melhores do que previsto sobre os pedidos de subsídio de desemprego nos EUA foram insuficientes para tranquilizar hoje os investidores.

As estatísticas publicadas pelo Departamento do Trabalho mostram que as novas inscrições nos centros de emprego atingiram 1,314 milhões, uma descida em relação à semana anterior, um pouco menos do que esperavam os analistas.

No total, há 18 milhões de cidadãos dos EUA a receberem o subsídio de desemprego, menos do que na semana passada, mas a um nível que permanece particularmente elevado, uma vez que no mesmo período do ano passado apenas 1,7 milhões o estavam a receber.

Por outro lado, os investidores parecem duvidar cada vez mais das possibilidades do Presidente norte-americano, Donald Trump, cujas medidas têm beneficiado os meios empresariais, ser reeleito em novembro, segundo Sam Stovall, de CFRA.

O Supremo Tribunal dos EUA infligiu hoje uma derrota a Trump, ao considerar que um procurador do Estado de Nova Iorque tinha direito a reclamar o registo contabilístico do multimilionário, incluindo as suas declarações de impostos, apesar de bloquear, por enquanto, o acesso por parte do Congresso.

“Há falhas na sua (de Trump) estratégia de defesa”, considerou Stovall.

RN // SR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS