Wall Street fecha em baixa empurrada por indicadores dececionantes

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em baixa, não conseguindo manter a dinâmica ascendente da véspera e do início da sessão, após a divulgação de indicadores dececionantes para os investidores.

Wall Street fecha em baixa empurrada por indicadores dececionantes

Wall Street fecha em baixa empurrada por indicadores dececionantes

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em baixa, não conseguindo manter a dinâmica ascendente da véspera e do início da sessão, após a divulgação de indicadores dececionantes para os investidores.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average baixou 0,24%, para os 34.312,46 pontos, e o alargado S&P500 recuou 0,21%, para as 4.188,13 unidades. Já o tecnológico Nasdaq fechou praticamente estagnado, ao desvalorizar 0,03%, para os 13.657,17 pontos.

Os investidores fizeram “marcha-atrás depois dos ganhos da manhã”, observou Peter Cardillo, da Spartan Capital Securities. “Isto esteve possivelmente ligado às estatísticas económicas, com uma deceção do lado dos consumidores”, detalhou.

A confiança dos consumidores dos EUA permaneceu estável em maio face a abril, quando tinha atingido o seu máximo desde o início da crise sanitária, segundo o índice da Conference Board.

Este índice, de facto, baixou ligeiramente, de 117,5 pontos em abril, para os 117,2 de maio, abaixo dos 118 esperados pelos analistas.

Por outro lado, as vendas de casas novas nos EUA em abril baixaram mais do que previsto e os preços do imobiliário subiram, segundo o Departamento do Comércio.

Em termos anualizados, isto é, as vendas que ocorreriam no conjunto do ano se este ritmo se mantivesse, as vendas de casas novas atingiram as 863 mil, o que representa uma baixa de 5,9% em relação a março. Os analistas tinham previsto 980 mil vendas.

Entre os títulos do dia, a Moderna valorizou 3,10%. A biotecnológica norte-americana anunciou hoje que a sua vacina contra o novo coronavirus era “altamente eficaz” nos adolescentes com idades entre 12 e 17 anos e confirmou querer solicitar um pedido de autorização para esta faixa etária, no “início de junho”, junto de várias autoridades reguladoras no mundo.

No mercado obrigacionista, o rendimento das obrigações de dívida pública dos EUA a 10 anos descia dos 1,61% de segunda-feira à noite para 1,56%.

RN // PDF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS