Wall Street fecha em baixa depois de Trump comentar as negociações com a China

A bolsa nova-iorquina encerrou em baixa, com os investidores a recuperarem algum fôlego depois de uma série de divulgação de resultados de empresas e comentários do Presidente norte-americano, Donald Trump, sobre as negociações com a China.

Wall Street fecha em baixa depois de Trump comentar as negociações com a China

Wall Street fecha em baixa depois de Trump comentar as negociações com a China

A bolsa nova-iorquina encerrou em baixa, com os investidores a recuperarem algum fôlego depois de uma série de divulgação de resultados de empresas e comentários do Presidente norte-americano, Donald Trump, sobre as negociações com a China.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average, cedeu 0,09%, para os 27.335,63 pontos.

Da mesma forma, o tecnológico Nasdaq perdeu 0,43%, para as 8.222,80 unidades, e o alargado S&P500 recuou 0,34%, para as 3.004,04.

Na véspera, estes emblemáticos índices tinham encerrado em níveis recorde.

Na terça-feira, “a sessão foi sobretudo determinada por dois elementos, os numerosos resultados de empresas e as declarações de Donald Trump a assegurar que ‘ainda há um longo caminho a percorrer’ nas negociações com a China”, afirmou Adam Sarhan, da sociedade 50 Park Investments.

“Qualquer informação conducente a uma conclusão rápida de um acordo comercial é considerada a curto prazo como um fator negativo pelos investidores”, afirmou.

Antes, os índices tinham oscilado em torno do ponto de equilíbrio, depois da divulgação dos números trimestrais de várias empresas relevantes da praça.

O primeiro banco norte-americano, por ativos, o JPMorgan Chase, anunciou ter registado no segundo trimestre um lucro de 9,65 mil milhões de dólares (8,60 milhões de euros), o que levou a sua ação a encerrar com uma valorização de 1,07%.

Por seu lado, o banco Goldman Sachs avançou 1,86%, depois de ter revelado resultados melhores do que previsto, apesar de uma descida contínua das comissões recebidas pelos banqueiros de negócios e das receitas geradas pelos operadores de mercado bolsista.

Em contrapartida, os investidores acolheram negativamente os números do banco Wells Fargo, que perdeu 3,02%, do grupo de produtos farmacêuticos e de higiene Johnson & Johnson, quer baixou 1,64%, e da cadeira de restauração Domino’s Pizza, que desvalorizou 8,66%.

A sessão foi também marcada pela divulgação de uma série de indicadores, entre os quais as vendas do comércio retalhista melhores do que previsto em junho, que tiveram um crescimento mensal de 0,4%.

A produção industrial nos EUA, por seu lado, manteve-se inalterada em junho, comparada com maio, ao passo que os preços na importação caíram 0,9% nesse mês.

“O fosso entre a robustez do consumo e as dificuldades do setor industrial continua a aumentar e esta divergência pode tornar-se um tema delicado para os investidores até ao final do ano”, comentou Ken Berman, da Gorilla Trades.

RN // SR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS