Wall Street fecha em baixa com subida repentina de casos de coronavírus

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em baixa, com a subida acentuada do número de contaminações do novo coronavírus a suscitar preocupação entre os investidores.

Wall Street fecha em baixa com subida repentina de casos de coronavírus

Wall Street fecha em baixa com subida repentina de casos de coronavírus

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em baixa, com a subida acentuada do número de contaminações do novo coronavírus a suscitar preocupação entre os investidores.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o Dow Jones Industrial Average perdeu 0,43%, para os 29.423,31 pontos.

O tecnológico Nasdaq cedeu 0,14%, para as 9.711,97 unidades, e o S&P500 recuou 0,16%, para as 3.373,94.

“Há muita incerteza em torno do coronavírus. Ninguém sabe realmente a gravidade da epidemia e até que ponto se pode propagar”, observou Nate Thooft, da Manulife Asset Management.

A China anunciou hoje mais 15 mil contaminações pelo novo coronavírus. Esta subida recorde é devida a uma nova definição, mais abrangente, dos casos de infeção, descrevendo uma epidemia mais grave do que relatada até agora.

O recuo ligeiro de Wall Street hoje verificado não pareceu abalar os investidores, até porque os principais índices bolsistas têm continuado a sua progressão e superado recordes nas últimas sessões.

“Seja nos EUA ou no estrangeiro, os investidores mostraram-se resilientes e preferiram focar-se no longo prazo, esperançados de que a situação melhore nos próximos meses”, interpretou Thooft.

“Na hora atual, o impacto principal do vírus permanece centralizado na China, onde a epidemia começou”, acrescentou Thooft, que avançou que os investidores na praça nova-iorquina não antecipam consequências demasiado pesadas para a economia norte-americana.

No referente aos indicadores, a inflação mensal nos EUA diminuiu ligeiramente em janeiro, para 0,1%, depois de 0,2% em dezembro, segundo o índice CPI, divulgado hoje pelo Departamento do Trabalho.

Em termos anuais, o ritmo de variação dos preços foi de 2,5%, o mais elevado desde há pouco mais de um ano.

O número de pedidos de subsídios de desemprego, por seu lado, aumentou um pouco, de 203 mil na semana passada para 205 mil, também segundo o Departamento do Trabalho, valor abaixo do esperado pelos analistas.

RN // SR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS