Wall Street fecha em baixa com a incerteza sobre as políticas da Reserva Federal

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em ligeira baixa, e o Dow Jones Industrials, o seu principal indicador, caiu 0,47% num dia de menor volatilidade do que a sessão anterior, mas ainda marcada pela incerteza sobre a Reserva Federal.

Wall Street fecha em baixa com a incerteza sobre as políticas da Reserva Federal

Wall Street fecha em baixa com a incerteza sobre as políticas da Reserva Federal

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em ligeira baixa, e o Dow Jones Industrials, o seu principal indicador, caiu 0,47% num dia de menor volatilidade do que a sessão anterior, mas ainda marcada pela incerteza sobre a Reserva Federal.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average recuou 154,02 pontos para 32.909,59, enquanto o seletivo S&P 500 caiu 0,22% para 4.128,73 pontos.

Já o Nasdaq Composite Market, onde estão listadas as principais empresas de tecnologia, negociou em alta durante parte do dia, mas acabou a perder 0,27 pontos, para 12.381,30.

O mercado de Nova Iorque registou um dia cauteloso após as fortes perdas na segunda-feira, associadas à possível continuação das medidas agressivas pela Reserva Federal (Fed) dos Estados Unidos para conter a inflação e ao receio de que estas contribuam para uma recessão.

Os investidores parecem apostados em vender esta semana, perante a incerteza sobre o caminho a seguir pelo banco central norte-americano, enquanto aguardam os comentários que o presidente da Fed, Jerome Powell, fará esta sexta-feira durante um simpósio económico Jackson Hole (Wyoming, EUA).

“O discurso do presidente do Fed, Jerome Powell, na sexta-feira estará no centro das atenções, com os participantes do mercado esperando que os seus comentários sejam agressivos, reiterando a necessidade de mais aumentos nas taxas de juros para conter a ‘inflação’, sublinharam analistas do Wells Fargo.

Jack Ablin, diretor de investimentos da Cresset Capital, explicou que tem a mesma expectativa: “todos estão focados no discurso de sexta-feira”.

“Preveem-se taxas mais altas nos futuros de fundos federais e até mesmo um membro do Fed, que normalmente está do lado menos favorável a uma política monetária apertada, como Neel Kashkari recentemente indicou que as taxas iriam além do que o mercado espera”, realçou.

Durante o dia, o mercado analisou uma série de dados que mostravam quebra na atividade produtiva e nas vendas de novas casas nos EUA, além das perspetivas negativas para a economia, indicadas nos resultados de várias empresas listadas.

“Embora o mercado aparentemente tenha comemorado uma melhoria na inflação, os investidores não devem esquecer que os dados de projeção enfatizam uma economia em deterioração”, salientaram analistas da Charles Schwab, em comunicado.

Por setores, as perdas predominaram e os mais afetados foram imobiliário (-1,46%), saúde (-1,39%) e comunicações (-0,71%).

Em destaque, com ganhos, esteve o setor da energia (3,62%) em paralelo com a subida dos mercados de futuros do barril de petróleo do Texas, que atingiu um preço próximo dos 94 dólares.

Dois terços das empresas listadas na Dow Jones acabaram no vermelho, como a Procter & Gamble (-1,94%), Home Depot (-1,77%), UnitedHealth (-1,61%) e Verizon (-1,56%).

Os maiores ganhos registaram-se para a Chevron (+3,21%), Caterpillar (+2,85%) e Dow Inc (+2,21%).

DMC // CC

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS