Wall Street fecha em baixa atribuída a Fed, pandemia, China e Afeganistão

A bolsa nova-iorquina acelerou a tendência de queda, depois de as minutas de uma reunião da Reserva Federal revelarem que a redução dos seus apoios à economia pode estar para breve.

Wall Street fecha em baixa atribuída a Fed, pandemia, China e Afeganistão

Wall Street fecha em baixa atribuída a Fed, pandemia, China e Afeganistão

A bolsa nova-iorquina acelerou a tendência de queda, depois de as minutas de uma reunião da Reserva Federal revelarem que a redução dos seus apoios à economia pode estar para breve.

Nova Iorque, 18 ago 2021 (Lusa) — A bolsa nova-iorquina acelerou a tendência de queda, no fecho da sessão, depois de as minutas de uma reunião da Reserva Federal (Fed) revelarem que a redução dos seus apoios à economia pode estar para breve.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average perdeu 1,08%, para os 34.960,69 pontos, o alargado S&P500 caiu 1,07%, para as 4.400,27 unidades, e o tecnológico Nasdaq 0,89%, para os 14.525,91 pontos.

“As vendas aceleraram” no final da sessão, “porque a ata da última reunião da Fed mostra que ela se prepara para reduzir as compras de ativos este ano”, declarou Peter Cardillo, da Spartan Capital Securities.

A sessão começou moderadamente em baixa, e os investidores não reagiram imediatamente à divulgação das minutas.

“Estou surpreendido”, disse o estratega da Spartan Capital, “porque isso não deveria ter sido uma notícia negativa”.

A justificar o julgamento, Cardillo avançou: “Penso simplesmente que o Comité Monetário (da Fed) é uma desculpa para os investidores retirarem algum dinheiro da mesa”.

O nítido recuo de hoje, o segundo consecutivo, ocorreu depois cinco recordes consecutivos do Dow e do S&P500.

Segundo a ata da reunião do Comité de Política Monetária da Fed (FOMC, na sigla em Inglês), realizada em 27 e 28 de julho, os dirigentes do banco central poderiam começar a reduzir o apoio à economia já este ano, mas estão divididos quanto à identificação do momento mais oportuno para o início da redução de compras de ativos pela instituição.

Os favoráveis a um endurecimento mais rápido das condições monetárias salientaram os riscos de a inflação continuar a aumentar, enquanto os outros querem observar ainda a evolução da conjuntura, considerando em particular a propagação da variante delta do novo coronavírus.

As mesmo tempo, para Sam Stovall, da CFRA, “a discussão relatada nas minutas ficou algo obsoleta, dada as alterações de circunstâncias ocorridas depois, em particular com a variante delta e as suas consequências para o emprego”.

As taxas das obrigações da dívida pública a 10 anos mantiveram-se praticamente sem alteração, em 1,26%.

O debate sobre o calendário de uma redução das compras dos ativos pela Fed está no espírito dos investidores desde há semanas.

Para os analistas da Schwab, a descida bolsista de hoje reflete sobretudo “as inquietações persistentes com as implicações da variante delta, a continuação da repressão regulamentar na China e as consequências da queda recente do governo no Afeganistão”.

Todos os setores do S&P500, com exceção dos produtos de consumo, fecharam em baixa.

RN // PDF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS