Wall Street fecha em baixa arrastada pela lira turca

Wall Street fecha em baixa arrastada pela lira turca

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em baixa, com os investidores a cederem à forte desvalorização da lira turca, receando o contágio a outros países, o que levou o dólar para um máximo de mais de um ano.

Os resultados definitivos da sessão indicam que seletivo Dow Jones Industrial Average perdeu 0,77%, para os 25.313,14 pontos, o tecnológico Nasdaq recuou 0,67%, para as 7.839,11 unidades, e o S&P500 desvalorizou 0,71%, para as 2.833,28.

No conjunto da semana, os três índices também divergiram, com o Dow Jones e o S&P500 a recuarem respetivamente 0,59% e 0,25%, enquanto o Nasdaq avançou 0,35%.

“Os fatores de risco que envolvem a Turquia são elevados”, comentou Peter Cardillo, da Spartan Capital.

Em forte instabilidade desde há semanas, a divisa turca perdeu hoje até 24% do seu valor face ao dólar dos EUA, uma quebra exacerbada por mais um anúncio protecionista de Donald Trump, que duplicou as tarifas alfandegárias aplicadas ao aço e alumínio provenientes da Turquia.

Ancara “pode fazer sofrer alguns Estados europeus, como Itália, Espanha ou França, fazendo pressão sobre o seu setor bancário”, comentou Cardillo.

O Banco Central Europeu está preocupado com um eventual contágio desta crise monetária a alguns bancos europeus muito presentes na Turquia, escreveu hoje o Financial Times.

Do outro lado do Atlântico, os bancos norte-americanos foram pouco afetados por esta fragilização do setor bancário europeu, com o subíndice do S&P500 que agrupa estes valores a perder 1,16%.

O afundamento da divisa turca teve também por consequência uma forte valorização do dólar, que atingiu um máximo de 13 meses perante um cabaz de divisas, entre as quais o euro.

Acontece que um dólar elevado é negativo para as exportações norte-americanas, que veem a sua competitividade reduzir-se.

RN // ARA

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Wall Street fecha em baixa arrastada pela lira turca

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em baixa, com os investidores a cederem à forte desvalorização da lira turca, receando o contágio a outros países, o que levou o dólar para um máximo de mais de um ano.