Wall Street fecha em baixa apesar da recuperação dos títulos da tecnologia

Apesar de os títulos da tecnologia terem hoje recuperado parte das perdas sofridas na segunda-feira, Wall Street fechou em baixa, devido ao alargamento da pressão para a baixa das cotações a outros setores.

Wall Street fecha em baixa apesar da recuperação dos títulos da tecnologia

Wall Street fecha em baixa apesar da recuperação dos títulos da tecnologia

Apesar de os títulos da tecnologia terem hoje recuperado parte das perdas sofridas na segunda-feira, Wall Street fechou em baixa, devido ao alargamento da pressão para a baixa das cotações a outros setores.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o tecnológico Nasdaq, que tinha começado o dia em queda livre, acabou próximo do equilíbrio, com um recuo de 0,09%, para os 4.152,10 pontos.

Mais fortes foram as quedas do seletivo Dow Jones Industrial Average, que desvalorizou 1,36%, para as 34.270,35 unidades, na que foi a sua pior sessão desde finais de fevereiro, e o alargado S&P500, que perdeu 0,87%, para os 4.152,10 pontos.

“O recuo da bolsa nova-iorquina acelerou hoje, com a descida recente do setor das tecnologias de informação (…) a começar a ganhar outros setores”, notaram os analistas da Charles Schwab.

“As ações de valor (nota – cuja cotação depende fortemente da conjuntura económica) foram os que mais perderam, em particular nos setores da energia e indústria e no da banca”, acrescentaram.

Ao contrário, os nomes relevantes do setor tecnológico, como Amazon e Facebook, conseguiram reverter a tendência, depois das perdas de sofridas na segunda-feira e no início da sessão de hoje. Aqueles títulos fecharam hoje com ganhos respetivos de 1,08% e 0,18%.

As atenções dos investidores estão agora focadas no Departamento do Trabalho, que deve publicar na quarta-feira o índice de preços no consumo, relativo a abril, e, na quinta-feira, o índice de preços na produção.

Estes dois indicadores vão permitir aos investidores de fazer o ponto sobre a inflação quando vários economistas fazem alertas para os riscos de sobreaquecimento com uma reanimação demasiado rápida da atividade económica.

No mercado obrigacionista, a taxa a 10 anos da dívida pública estava a subir, estabelecendo-se em 1,6235%, dos 1,6020% de segunda-feira à noite.

RN // RBF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS