Wall Street fecha em alta graças às negociações comerciais sino-norte-americanas

A bolsa nova-iorquina encerrou em alta, com os investidores alimentados pela esperança, confirmada no final da sessão, de um acordo comercial parcial entre EUA e China.

Wall Street fecha em alta graças às negociações comerciais sino-norte-americanas

Wall Street fecha em alta graças às negociações comerciais sino-norte-americanas

A bolsa nova-iorquina encerrou em alta, com os investidores alimentados pela esperança, confirmada no final da sessão, de um acordo comercial parcial entre EUA e China.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average avançou 1,21%, para os 26.816,59 pontos.

Da mesma forma, o tecnológico Nasdaq ganhou 1,34%, para as 8.057,04 unidades, e o alargado S&P500 progrediu 1,09%, para as 2.970,27.

Os índices bolsistas valorizaram ainda mais durante a sessão, à medida que o Presidente dos EUA, Donald Trump, ia fazendo comentários positivos sobre as negociações que decorriam entre representantes norte-americanos e chineses, saudando entre outros motivos a atmosfera “calorosa” entre as delegações.

O Dow Jones chegou mesmo a estar a valorizar cerca de 2%, quando o inquilino da Casa Branca afirmou, perto do final da sessão, que as duas partes tinham alcançado um acordo comercial parcial.

“Chegámos a um acordo muito importante, de fase 1”, afirmou Trump à comunicação social, depois de um encontro com o principal negociador chinês, o vice-primeiro-ministro, Liu He.

Não obstante, sem informação mais detalhada, os índices perderam parte do terreno.

“Estivemos à espera durante todo o dia de detalhes sobre este acordo (…) e o pouco que se veio a saber pareceu mais limitado do que se esperava”, sublinhou Christopher Low, da FTN Financial.

“Não deixa de ser uma boa notícia, e os ganhos do dia somam-se aos registados na véspera, na expectativa deste anúncio”, acrescentou.

Os rendimentos no mercado obrigacionista aumentaram fortemente depois do anúncio do acordo, o que foi visto como um “sinal da diminuição do receio de recessão entre os investidores”, na opinião de Low.

A taxa de juro paga pela dívida norte-americana a 10 anos subiu assim, cerca das 21:20 horas de Lisboa, para 1,731%, depois dos 1,668% verificados no fecho da sessão de quinta-feira.

No conjunto da semana, os índices Dow Jones e Nasdaq valorizaram 0,9% e o S&P500 ganhou 0,6%.

A fase 1 do acordo, segundo Donald Trump, inclui as compras de bens agrícolas norte-americanos pelos chineses, mas também aspetos relativos à propriedade intelectual, aos serviços financeiros e taxas de câmbio.

O secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, afirmou, por seu lado, que os EUA renunciavam a aumentar as taxas alfandegárias sobre um total de importações chinesas de 250 mil milhões de dólares (227 mil milhões de euros), que deveriam subir de 25% para 30% em 15 de outubro.

Por seu lado, o negociador chinês aludiu a “progressos substanciais em numerosos domínios” e deu a entender que as negociações iam continuar.

RN // SR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS