Wall Street fecha em alta graças a números dececionantes do mercado de trabalho

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em subida, com os investidores animados pelos números dececionantes do mercado de trabalho, uma vez que lhes alimenta a esperança de a Reserva Federal (Fed) vir a descer as taxas de juro.

Wall Street fecha em alta graças a números dececionantes do mercado de trabalho

Wall Street fecha em alta graças a números dececionantes do mercado de trabalho

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em subida, com os investidores animados pelos números dececionantes do mercado de trabalho, uma vez que lhes alimenta a esperança de a Reserva Federal (Fed) vir a descer as taxas de juro.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average avançou 1,02%, para os 25.983,94 pontos, fechando de resto a melhor semana desde o início do ano, com um ganho de 4,7%.

Já o tecnológico Nasdaq fechou com ganhos diários de 1,66%, para as 7.742,10 unidades, e de 3,9% no conjunto da semana.

Por sua vez, o alargado S&P500 valorizou 1,05%, para os 2.873,34 pontos, registando também ele a sua maior subida semanal de 2019.

Os investidores acolheram positivamente os números divulgados pelo Departamento do Trabalho, que mostraram uma criação líquida de 75 mil empregos em maio, quando a expectativa dos analistas era de 180 mil.

Estes dados confortam a ideia de que a política comercial seguida pela Casa Branca começa a ter um impacto real sobre a economia, depois de serem conhecidas estatísticas que mostram uma diminuição da atividade no setor industrial em maio e uma contração das despesas de consumo das famílias norte-americanas desde o início do ano.

“O risco de uma recessão é agora claramente admitido pelos investidores” e seria “demasiado perigoso para a Fed não começar a agir rapidamente para a evitar, comentou Christopher Low, da FTN Financial.

Uma grande maioria dos investidores espera assim que a Fed reduza a sua taxa de juro de referência em julho, com alguns a admitirem mesmo que isso aconteça já na reunião de meados de junho do comité de política monetária (FOMC, na sigla em inglês).

Em reflexo desta antecipação dos investidores, a taxa de juro da dívida pública norte-americana a 10 anos estava a cair pesadamente no mercado obrigacionista, evoluindo cerca das 21.20 de Lisboa a 2,084%, contra os 2,117% da véspera.

A perspetiva de uma descida das taxas de juro é vista com agradado entre os investidores de Wall Street, que durante vários anos depois da crise financeira de 2008 beneficiaram em muito do nível baixo das taxas da Fed. Tal decisão é vista como tendendo a animar a economia, ao tornar os empréstimos mais acessíveis para as empresas como para os particulares.

Os investidores esperam também que a Casa Branca renuncie a concretizar a sua ameaça de aplicar a partir de segunda-feira tarifas alfandegárias punitivas ao México, a quem acusa de não fazer o suficiente para travar o afluxo de migrantes indocumentados.

RN // EL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS