Wall Street fecha em alta e com recordes do Nasdaq e S&P500

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em alta, com os investidores animados com os resultados de empresas, o que permitiu novos recordes aos índices tecnológico Nasdaq e alargado S&P500.

Wall Street fecha em alta e com recordes do Nasdaq e S&P500

Wall Street fecha em alta e com recordes do Nasdaq e S&P500

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje em alta, com os investidores animados com os resultados de empresas, o que permitiu novos recordes aos índices tecnológico Nasdaq e alargado S&P500.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o seletivo Dow Jones avançou 0,68%, para os 35.730,48 pontos.

Mas os destaques foram para o Nasdaq, que fixou um novo recorde nas 15.448,12 unidades, depois de uma valorização de 1,39%, tal como o S&P50, que atingiu os 4.596,42 pontos, ao avançar 0,98%.

Os 11 setores do S&P500 acabaram com ganhos, com o imobiliário à cabeça, subindo 1,47%, seguido pelos fabricantes de produtos de grande consumo (1,37%), indústria (1,29%) e tecnologias de informação (1,06%).

A evoluir em alta desde o início da sessão, a ação da Facebook acelerou quando o grupo de Mark Zuckerberg anunciou que ia mudar o nome da ‘holding’, para Meta, e ser cotada em bolsa sob o nome de MVRS, abreviatura relativa a metaverso, acabando a sessão a valorizar 1,51%.

Na antecipação do anúncio dos seus resultados trimestrais, a Apple ganhou 2,50%.

O conglomerado do comércio eletrónico Amazon, que tinha acabado a sessão em alta de 1,59%, estava a perder o dobro nas trocas eletrónicas posteriores ao fecho da praça. Com efeito, o grupo de Jeff Bezos dececionou os investidores, ao anunciar, depois do fim da sessão, um lucro dececionante no terceiro trimestre.

Na frente dos indicadores, “um calendário mitigado mostrou uma primeira estimativa do produto interno bruto (PIB) no terceiro trimestre bem abaixo das expectativas”, realçaram os analistas da Schwab.

O crescimento da economia dos EUA, entre julho e setembro, afetado pela propagação da variante delta do novo coronavirus, foi de dois por cento, abaixo dos 2,4% que os analistas esperavam.

“O PIB disse-nos o que já sabíamos, que a economia diminuiu consideravelmente (no seu ritmo de crescimento) no terceiro trimestre”, afirmou Ryan Detrick, principal estratega da LPL Financial.

“A boa notícia é que prevemos que os próximos trimestres vão compensar largamente a diminuição, com a melhoria da situação ligada à covid”, acrescentou.

A confiança dos investidores está confortada pelos “sinais atuais” favoráveis do mercado de trabalho, salientaram os analistas da Schwab.

Pela quarta semana consecutiva, as inscrições semanais para os subsídios de desemprego diminuirão e estão no nível mais baixo desde o início da pandemia. Na semana passada, recuaram em 10 mil, para um total de 281 mil, anunciou o Departamento do Trabalho.

 

RN // PDF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS