Wall Street fecha em alta depois de audição de Janet Yellen no Senado

A bolsa nova-iorquina fechou hoje em alta, depois da audição pelos senadores dos EUA da futura secretária do Tesouro, Janet Yellen, que defendeu um ambicioso plano de relançamento económico.

Wall Street fecha em alta depois de audição de Janet Yellen no Senado

Wall Street fecha em alta depois de audição de Janet Yellen no Senado

A bolsa nova-iorquina fechou hoje em alta, depois da audição pelos senadores dos EUA da futura secretária do Tesouro, Janet Yellen, que defendeu um ambicioso plano de relançamento económico.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average subiu 0,38%, para os 30.390,52 pontos, e o alargado S&P500 ganhou 0,81%, para os 3.798,91.

Já o tecnológico Nasdaq apresentou os ganhos mais fortes entre estes índices, com uma valorização de 1,53%, para as 13.197,18 unidades, ficando muito próximo do recorde que estabeleceu em 08 de janeiro.

O Nasdaq foi apoiado pelo desempenho de conglomerados como o Facebook, que avançou 3,87%, e a Alphabet, ‘holding’ da Google, que progrediu 3,29%.

Na semana passada, a praça de Wall Street tinha conhecido a primeira semana negativa no ano em curso.

Hoje, um dia depois do feriado em memória de Martin Luther King e na véspera da tomada de posse de Joe Biden como presidente dos EUA, Yellen disse que era preciso “ver grande” e defendeu que os senadores não deveriam olhar a meios perante a dimensão da crise económica provocada pela pandemia.

Biden apresentou na semana passada um plano de ajudas urgente no montante de 1,9 biliões (milhão de milhões) de dólares (1,6 biliões de euros).

Antiga presidente do banco central dos EUA [Reserva Federal (Fed)], Yellen, que se exprimiu por videoconferência, também garantiu que era favorável a que o valor do dólar fosse fixado pelo mercado, em contraste com o governo cessante, que defendia a desvalorização da moeda.

“O mercado está a preparar-se para o novo governo e mais estímulos orçamentais”, resumiu Peter Cardillo, da Spartan Capital Securities.

Por outro lado, os investidores estiveram a apreciar os resultados trimestrais de vários grandes bancos norte-americanos, hoje divulgados antes da abertura da sessão bolsista.

No fim do dia, o Goldman Sachs fechou a recuar 2,26% e o Bank of América 0,73%.

O primeiro baixou, apesar da subida dos lucros no último trimestre, graças ao forte crescimento da atividade na banca de investimento.

Já o segundo viu os lucros caírem nitidamente, afetados pela taxa de juro baixa e a diminuição da atividade do seu banco de retalho.

Depois do encerramento da sessão, a plataforma de transmissão Netflix, cujo número de assinantes pagos no mundo superou os 200 milhões pela primeira vez no último trimestre de 2020, teve uma valorização superior a 11% nas transações eletrónicas.

Entre os outros títulos, destaque-se o do grupo Stellantis, que resultou da fusão dos construtores automóveis Fiat Chrysler e PSA, que se estreou em Wall Street com uma apreciação de cerca de 11%.

Outro construtor automóvel, General Motors, avançou 9,75%, depois de anunciar uma parceria com o conglomerado da informática Microsoft — que fechou a subir 1,78% – no domínio das viaturas autónomas. Em resultado, a filial Cruise da GM está valorizada em mais de 30 mil milhões de dólares (25 mil milhões de euros).

Já a General Electric ganhou hoje 0,88%, depois de anunciar o congelamento das pensões de reforma dos seus 2.800 empregados no Reino Unido.

A Boeing apreciou 3,13% depois da autorização dada pelo regulador europeu ao seu modelo 737 MAX para voar nos céus europeus “na próxima semana”, 22 meses depois de ter sido reduzido ao solo depois de dois acidentes.

RN // JLS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS