Wall Street fecha em alta com recordes de Dow Jones, Nasdaq e S&P500

Os três principais índices da bolsa nova-iorquina fecharam hoje em níveis inéditos, com os investidores esperançados na aprovação de um plano de ajudas e estímulos às famílias e empresas.

Wall Street fecha em alta com recordes de Dow Jones, Nasdaq e S&P500

Wall Street fecha em alta com recordes de Dow Jones, Nasdaq e S&P500

Os três principais índices da bolsa nova-iorquina fecharam hoje em níveis inéditos, com os investidores esperançados na aprovação de um plano de ajudas e estímulos às famílias e empresas.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average valorizou 0,49%, para os 30.303,37 pontos, superando o recorde estabelecido em 04 de dezembro.

O tecnológico Nasdaq estabeleceu mesmo um terceiro recorde consecutivo, depois de subir 0,85%, para as 12.764,75 unidades, ao passo que o alargado S&P500 progrediu 0,58%, para os 3.722,48 pontos, o seu novo máximo histórico.

“O mercado está em alta essencialmente devido ao estímulo. A perspetiva de se alcançar um acordo para o relançamento da economia até ao final desta semana ajuda o mercado”, resumiu Peter Cardillo, da Spartan Capital Securities.

Os congressistas estão envolvidos em maratonas negociais para chegarem a um compromisso sobre novas medidas de ajuda às famílias e empresas atingidas pela recessão.

Democratas e republicanos procuram chegar a acordo, antes do Natal, sobre uma versão comum da proposta de 908 mil milhões de dólares (740 mil milhões de euros) avançada por um grupo de trabalho bipartidário.

O anúncio da subida de novas inscrições semanais no subsídio de desemprego, que chegaram a 885 mil, número este que é o mais elevado desde setembro, não perturbou o entusiasmo dos investidores.

“Tivemos notícias da macroeconomia que não foram boas, com a subida dos novos pedidos de subsídio de desemprego em alta”, realçou Cardillo.

Mas, por outro lado, os investidores ficaram satisfeitos com o facto de o banco central dos EUA e o seu presidente, Jérôme Powell, terem mostrado na quarta-feira que a política monetária iria continuar acomodatícia, com taxas de juro praticamente de zero por cento, previsivelmente até 2023.

Na frente da luta contra a pandemia, uma semana depois de ter recomendado a autorização de uma primeira vacina contra o novo coronavirus, a autoridade sanitária dos EUA (FDA, na sigla em Inglês) reune na quinta-feira para avaliar o produto desenvolvido pela norte-americana Moderna.

As primeiras administrações de vacina são esperadas para a próxima semana.

Na Europa, a autorização da vacina da Moderna deve ser analisada em 06 de janeiro.

A ação dos laboratórios Pfizer subiu 5,09%, enquanto a Pfizer, cuja vacina já começou a ser administrada nos EUA, avançou 0,49%.

Quase todos os setores em que se divide o S&P500 fecharam em alta, com imobiliário e materiais em alta, respetivamente, de 1,21% e 1,18%.

O Departamento do Comércio publicou um indicador que foi bem recebido pelos investidores sobre a construção de casas novas nos EUA.

Esta construção aumentou 1,2% em novembro, uma subida surpreendente, que confirmou a boa saúde do setor imobiliário, alimentada por juros quase inexistentes.

RN//RBF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS