Wall Street fecha em alta acentuada com esperanças de mais apoios à economia EUA

A bolsa nova-iorquina fechou hoje em alta acentuada, no final de uma sessão de altos e baixos, marcada pela divulgação de resultados trimestrais de vários grandes bancos e por esperanças dos investidores em medidas suplementares de apoio à economia.

Wall Street fecha em alta acentuada com esperanças de mais apoios à economia EUA

Wall Street fecha em alta acentuada com esperanças de mais apoios à economia EUA

A bolsa nova-iorquina fechou hoje em alta acentuada, no final de uma sessão de altos e baixos, marcada pela divulgação de resultados trimestrais de vários grandes bancos e por esperanças dos investidores em medidas suplementares de apoio à economia.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average valorizou 2,13%, para os 26.642,59 pontos, registando a sua terceira progressão consecutiva.

Da mesma forma, o tecnológico Nasdaq ganhou 0,94%, para as 10.488,58 unidades, e o alargado S&P500 subiu 1,34%, para os 3.197,52 pontos, o que significou o quase regresso ao nível do início do ano.

Segundo informações divulgadas pela comunicação social, democratas e republicanos estão próximos de um compromisso no Congresso para votarem novas medidas de apoio em resposta à crise ligada à pandemia do novo coronavírus.

“A promessa de medidas de estímulo orçamental reforça as expectativas económicas”, observou Chris Low, da FHN Financial.

Esta tendência confirmou-se na praça nova-iorquina, onde vários valores cíclicos, que dependem fortemente das flutuações da economia, terminaram em alta.

Foi nomeadamente o caso do construtor de máquinas de construção e obras públicas Caterpillar, integrante do Dow Jones, que valorizou 4,83%, e do fabricante de material agrícola Deere & Company (+3,50%).

A sessão de hoje também foi animada pela publicação, antes da abertura, dos resultados do segundo trimestre de várias grandes instituições bancárias

O JPMorgan Chase, que avançou 0,57%, e o Citigroup, que perdeu 3,93%, apresentaram desempenhos melhores do que previsto entre abril e junho, mas os dois bancos tiveram de constituir provisões elevadas para enfrentar o malparado.

Por seu lado, o Wells Fargo, que fechou a perder 4,57%, registou um prejuízo de 2,4 mil milhões de dólares e teve de provisionar 8,4 mil milhões de dólares para se proteger de uma situação bem pior que prevista por causa da pandemia.

O seu diretor-geral, Charlie Scharf, estimou, em comunicado, que “a duração e a severidade da crise económica (tinham) aumentado consideravelmente em relação” ao que se tinha “previsto no trimestre anterior”.

Nos próximos dias são esperados os resultados dos grupos Netflix e Johnson & Johnson.

Na frente dos indicadores, o índice dos preços no consumidor regressou a uma tendência de crescimento, com 0,6%, depois de três meses de recuo devido à crise provocada pela novo coronavírus, segundo o índice publicado pelo Departamento de Trabalho.

RN // SR

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS