Wall Street fecha com variação escassa e oposta mas com novo recorde do Nasdaq

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje com variações divergentes e mínimas dos principais índices, mas suficientes para mais um máximo do Nasdaq, enquanto os investidores acompanham as negociações sobre os estímulos económicos, que decorrem em Washington.

Wall Street fecha com variação escassa e oposta mas com novo recorde do Nasdaq

Wall Street fecha com variação escassa e oposta mas com novo recorde do Nasdaq

A bolsa nova-iorquina encerrou hoje com variações divergentes e mínimas dos principais índices, mas suficientes para mais um máximo do Nasdaq, enquanto os investidores acompanham as negociações sobre os estímulos económicos, que decorrem em Washington.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average cedeu 0,03%, para os 31.375,83 pontos, e o alargado S&P500 recuou 0,11%, para os 3.911,24.

Já o tecnológico Nasdaq avançou 0,14%, para as 14.007,70 unidades, o suficiente para estabelecer um novo máximo histórico.

Esta quase estagnação dos índices sucede aos recordes de segunda-feira, o que acaba por representar a manutenção do entusiasmo da semana passada num mercado tranquilizado pela perspetiva de um plano de apoio à economia dos EUA, com o Dow Jones a avançar 0,76%, o Nasdaq progrediu 0,95% e o S&P500 valorizou 0,74%.

Na primeira sessão desta semana o Dow Jones e o S&P500 tinham fechado em níveis inéditos pela sexta vez consecutiva, o que incitou os investidores a realizarem hoje alguns ganhos.

Os investidores “regressaram depois de um pequeno recuo há duas semanas, apoiados pela aceleração das campanhas de vacinação contra o novo coronavirus, sinais que sugerem a redução das achas de infeção e a perspetiva crescente de novas medidas de apoio orçamental aos EUA”, resumiram os analistas de Charles Schwab.

As discussões sobre o plano apresentado pelo presidente Joe Biden, no montante de 1,9 biliões (milhão de milhões) de dólares (1,6 biliões de euros), prosseguiram no Congresso.

Com exceção do Nasdaq, os índices recuaram assim da tendência de estabelecer recordes, “o tempo de avaliar a recente subida e quando os indicadores e os resultados de empresas continuam a chegar”, precisaram os analistas da Schwab.

Contudo, a confiança dos dirigentes das pequenas empresas contrasta com este ambiente bolsista, uma vez que continuou a degradar-se em janeiro, caindo para o valor mais baixo desde maio de 2020, segundo a Federação Nacional das Empresas Independentes.

RN // JLS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS