Vendas de combustíveis da Galp caem 25% no 1.º trimestre

As vendas de produtos petrolíferos da Galp caíram 25% no primeiro trimestre deste ano face ao período homólogo, para 1,3 milhões de toneladas, impactadas pela diminuição da procura na Península Ibérica devido ao confinamento, anunciou hoje a empresa.

Vendas de combustíveis da Galp caem 25% no 1.º trimestre

Vendas de combustíveis da Galp caem 25% no 1.º trimestre

As vendas de produtos petrolíferos da Galp caíram 25% no primeiro trimestre deste ano face ao período homólogo, para 1,3 milhões de toneladas, impactadas pela diminuição da procura na Península Ibérica devido ao confinamento, anunciou hoje a empresa.

Segundo o ‘Trading Update’ da Galp relativo ao primeiro trimestre deste ano – cujos dados são provisórios e podem ainda diferir dos resultados trimestrais que serão divulgados no dia 26 — no período as vendas de gás natural a clientes registaram uma quebra homóloga de 26%, para 4,9 terawatt-hora (TWh), enquanto no segmento de eletricidade aumentaram 6%, para 1,0 TWh.

“Os volumes de vendas foram impactados pela diminuição da procura na Península Ibérica, fruto das medidas de confinamento derivadas da circunstância pandémica”, refere a Galp no documento enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Face ao trimestre anterior, as vendas de produtos petrolíferos recuaram 12%, as de gás natural diminuíram 16% e as de eletricidade subiram 8%.

Já a produção de petróleo recuou 5% em termos homólogos, para 123,5 mil barris por dia, mas aumentou 2% face ao trimestre anterior, enquanto o total de matérias-primas processadas diminuiu 26% relativamente a 2020 e 16% em cadeia e a margem de refinação aumentou 9% e 31%, respetivamente, para dois dólares por barril.

No segmento das renováveis — em que, por ser um negócio recente na Galp, a comparação é feita apenas com o último trimestre de 2020 — registou-se um aumento de 13% da geração de energia renovável, de 170 para 191 gigawatt (GWh).

Segundo a Galp, “a geração de energia renovável refletiu o efeito sazonal”, encontrando-se todas as centrais solares “a funcionar em condições normais após a resolução, no final do trimestre, dos constrangimentos operacionais registados em parte dos seus transformadores”.

PD // EA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS