Taxas máximas do crédito automóvel de veículos novos sobem no 4.º trimestre

As taxas máximas dos créditos destinados à compra de automóveis novos sobem no quarto trimestre, assim como as taxas máximas dos créditos pessoais, divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).

Taxas máximas do crédito automóvel de veículos novos sobem no 4.º trimestre

Taxas máximas do crédito automóvel de veículos novos sobem no 4.º trimestre

As taxas máximas dos créditos destinados à compra de automóveis novos sobem no quarto trimestre, assim como as taxas máximas dos créditos pessoais, divulgou hoje o Banco de Portugal (BdP).

O regulador e supervisor bancário publica trimestralmente as taxas máximas que podem ser cobradas pelas instituições financeiras em cada tipo de crédito ao consumo.

Em informação hoje divulgada, o BdP informou que no crédito automóvel as taxas máximas definidas para a locação financeira ou ALD (aluguer de longa duração) de veículos novos se fixam em 4,1% no quarto trimestre do ano (acima dos 4,0% do terceiro trimestre) e para a locação financeira ou ALD de veículos usados em 5,3% (abaixo aos 5,5%).

Já o crédito automóvel com reserva de propriedade para veículos novos sobe para 9,5% (face a 9,3%) e o crédito automóvel com reserva de propriedade para veículos usados mantém-se em 12,1% (igual ao terceiro trimestre).

Ainda para o trimestre de outubro a dezembro, o valor máximo de taxa nos créditos pessoais com destino à educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos sobe para 6,7% (face a 6,3%) e a taxa máxima de outros créditos pessoais (sem finalidade específica, lar, consolidado e outras finalidades) sobe para 13,4% (face a 12,8%).

Por fim, as taxas máximas em cartões de crédito, linhas de crédito, contas correntes bancárias, facilidades de descoberto e ultrapassagens de crédito descem para 15,3% (face a 15,5%).

Segundo a lei, as “taxas máximas para cada tipo de crédito são determinadas com base nas Taxas Anuais de Encargos Efetivas Globais (TAEG) médias praticadas no mercado pelas instituições de crédito no trimestre anterior, acrescidas de um quarto” e a “taxa máxima de qualquer tipo de crédito não pode exceder a TAEG média da totalidade do mercado do crédito aos consumidores, acrescida de 50%”.

IM // MSF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS