Santander isenta alguns cartões mas vai cobrar MBWay

O Santander vai começar a cobrar transferências no MBWay a partir de 10 de setembro, cobrando ainda algumas destas transferências acima de 50 euros na sua ‘app’.

Santander isenta alguns cartões mas vai cobrar MBWay

Santander isenta alguns cartões mas vai cobrar MBWay

O Santander vai começar a cobrar transferências no MBWay a partir de 10 de setembro, cobrando ainda algumas destas transferências acima de 50 euros na sua ‘app’.

O Santander vai começar a cobrar transferências no MBWay a partir de 10 de setembro, à exceção de cartões para jovens, cobrando ainda algumas destas transferências acima de 50 euros na sua ‘app’.

De acordo com o preçário no ‘site’ do Santander, na aplicação MBWay estão isentos de taxas os cartões Stream, Maestro Jovem, #U e #GlobalU, passando as transações cobradas com outros cartões a ser taxadas a 90 cêntimos cada, a que acresce o imposto de selo de 4% (total de 93,6 cêntimos)

Já através da aplicação do próprio banco (‘app’ Santander), a isenção aplicada aos cartões no MBWay mantém-se, acrescentando-se o cartão Mundo 123.

Quanto a transferências feitas por outros cartões na aplicação do banco, estarão isentas “até três transferências por mês de montante igual ou superior a 50 euros”, passando a ser taxadas em 45 cêntimos à quarta transferência, à qual acresce o imposto de selo de 4% (total de 46,8 cêntimos).

Já transferências superiores a 50 euros serão sempre taxadas em 45 cêntimos, mais 4% do imposto do selo (total de 46,8 cêntimos).

Desta forma, o Santander junta-se a outros bancos, como o BCP e o BPI, na cobrança de transferências por MBWay. Na apresentação de resultados do primeiro trimestre do banco, em 07 de maio, o presidente executivo do Santander, Pedro Castro e Almeida, criticou por várias vezes a isenção de encargos para os clientes do sistema multibanco e indicou que o banco passaria a cobrar por transferências no MBWay, mas sem indicar valor.

Anteriormente, o presidente executivo do BPI, Pablo Forero, já tinha rejeitado que seja “concorrência desleal” cobrar transferências através do MBWay, enquanto mantém gratuitas estas operações na sua aplicação.

O BCP começou a cobrar transferências por MBWay no dia 17 de maio, cobrando 1,248 euros (incluindo imposto de selo) pelas transferências que usem a ‘app’ (aplicação) MBWay.

Já aos clientes que usem a aplicação do próprio banco serão cobrados 52 cêntimos (incluindo imposto do selo). Ficam isentos desta comissão os clientes até 23 anos e aqueles que têm pacotes como programa Prestígio, o que, diz fonte oficial daquele banco, beneficiará “mais de um milhão de clientes, mais de metade do total” dos clientes do BCP.

A Deco considera que o Banco de Portugal não pode ‘lavar as mãos’ e tem de ter uma posição firme sobre as comissões do serviço de pagamentos MBWay, defendendo os mesmos limites de comissões cobradas aos comerciantes.

“Voltamos a reivindicar, junto do Banco de Portugal, que emita uma recomendação através da qual o regulador assuma a sua inequívoca posição sobre o comissionamento bancário, em particular no que respeita às transferências realizadas por MB Way, dadas as suas especificidades e limitações (inclusive de valor)”, lê-se na posição hoje divulgada pela associação de defesa do consumidor.

LEIA MAIS

Previsão do tempo para quinta-feira

 

 

 

Impala Instagram


RELACIONADOS