Ryanair atenua perdas para 48 ME no 1.º semestre fiscal e tráfego de passageiros sobe 128%

A Ryanair anunciou hoje perdas de 48 milhões de euros no primeiro semestre fiscal deste ano (até 30 de setembro), face aos 411 milhões verificados no período homólogo de 2020, tendo registado um aumento de passageiros em 128%.

Ryanair atenua perdas para 48 ME no 1.º semestre fiscal e tráfego de passageiros sobe 128%

Ryanair atenua perdas para 48 ME no 1.º semestre fiscal e tráfego de passageiros sobe 128%

A Ryanair anunciou hoje perdas de 48 milhões de euros no primeiro semestre fiscal deste ano (até 30 de setembro), face aos 411 milhões verificados no período homólogo de 2020, tendo registado um aumento de passageiros em 128%.

Em comunicado enviado à Bolsa de Valores de Londres, a companhia aérea irlandesa de baixo custo indica que, apesar das perdas de 48 milhões de euros (40,6 milhões de libras esterlinas), estas representam uma recuperação face aos 411 milhões de euros (347,8 milhões de libras esterlinas) que se verificaram entre março e setembro de 2020.

A companhia com sede em Dublin, capital da República da Irlanda, destaca “o sucesso da campanha de vacinação” contra a covid-19, que possibilitou a retoma do tráfego de passageiros a partir de julho, tendo transportado 39,1 milhões de passageiros, mais 128% face ao mesmo período de 2020, em que transportou 17,1 milhões de passageiros.

Líder na Europa do setor dos voos económicos, a Ryanair indica que aumentou a faturação em 83%, face ao semestre fiscal anterior, atingindo uma receita de 2.150 milhões de euros.

A empresa apresenta um “forte” saldo de caixa de 4.240 milhões de euros, 34% mais do que no final do exercício fiscal anterior, enquanto a dívida líquida diminuiu 34,21% no mesmo período, situando-se nos 1.500 milhões de euros.

A empresa dá conta de que nas últimas semanas de setembro registou “um aumento nas reservas” para os próximos meses, incluindo para as férias de Natal, esperando que esta tendência se mantenha no decorrer do próximo exercício fiscal.

A Ryanair admite, contudo, que é “difícil” prever como serão a evolução e a procura dos bilhetes durante o inverno, mas estima que o tráfego de passageiros poderá ultrapassar ligeiramente os 100 milhões no final do exercício fiscal de 2022.

Neste contexto, em que alerta também para a subida do preço dos combustíveis, a companhia aérea irlandesa assinala que as perdas podem situar-se entre os 100 e os 200 milhões de euros no final de março de 2022, mês em que termina o ano fiscal.

“Este resultado dependerá crucialmente da continuidade da campanha de vacinação e da ausência de eventos adversos relacionados com a covid-19”, adverte o presidente da Ryanair, Michael Kevin O’Leary, citado no comunicado.

JGS // MSF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS