Ritmo de queda da moeda angolana vai abrandar em 2021 e 2022 – Fitch Solutions

A consultora Fitch Solutions estimou hoje que o ritmo de depreciação da moeda angolana vá abrandar neste e no próximo ano, devendo registar uma taxa de câmbio de 663 kuanzas por dólar no conjunto do ano.

Ritmo de queda da moeda angolana vai abrandar em 2021 e 2022 - Fitch Solutions

Ritmo de queda da moeda angolana vai abrandar em 2021 e 2022 – Fitch Solutions

A consultora Fitch Solutions estimou hoje que o ritmo de depreciação da moeda angolana vá abrandar neste e no próximo ano, devendo registar uma taxa de câmbio de 663 kuanzas por dólar no conjunto do ano.

“Na Fitch Solutions, antevemos que o kwanza vá depreciar-se mais moderadamente no primeiro semestre deste ano quando comparado com o ano passado, dado o aumento das exportações petrolíferas e a melhoria no ambiente comercial”, escreveram os analistas.

Num comentário à evolução da moeda angolana, enviado aos investidores e a que a Lusa teve acesso, os analistas desta consultora detida pelos mesmos donos da agência de notação financeira Fitch Ratings consideraram que “as preocupações dos investidores sobre a frágil posição orçamental de Angola vão manter a procura de kwanzas baixa no curto prazo”.

O aumento das exportações e a subida das taxas de juro internas vão manter uma pressão descendente sobre o kwanza, que será menos pronunciada no segundo semestre deste ano e em 2022, escreveram os analistas.

A previsão da Fitch Solutions aponta para 581,5 kwanzas por dólar em 2020 para uma média de 662,99 este ano e 680,44 em 2022.

Os analistas disseram ainda que “uma retoma significativa do Investimento Direto Estrangeiro (IDE) é improvável de acontecer nos próximos dois anos, já que as reformas em curso para melhorar o ambiente de negócios demoram tempo a dar resultados”.

O IDE em Angola desceu de 16,2 mil milhões de dólares, cerca de 13,3 mil milhões de euros, em 2015, para 8,1 mil milhões de dólares, à volta de 6,6 mil milhões de euros, em 2019, lembraram os analistas no relatório, disponibilizado aos investidores na mesma semana em que a Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) disse que os investimentos em África caíram 18% no ano passado.

MBA // LFS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS