Projeto de gás natural em Moçambique e Banco Africano de Desenvolvimento ganham prémio Negócio do Ano

O projeto de gás natural na Área 1, em Moçambique, e o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) ganharam o prémio de Negócio Multilateral Global do Ano, atribuído pela revista Project Finance International (PFI), anunciou hoje esta entidade financeira.

Projeto de gás natural em Moçambique e Banco Africano de Desenvolvimento ganham prémio Negócio do Ano

Projeto de gás natural em Moçambique e Banco Africano de Desenvolvimento ganham prémio Negócio do Ano

O projeto de gás natural na Área 1, em Moçambique, e o Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) ganharam o prémio de Negócio Multilateral Global do Ano, atribuído pela revista Project Finance International (PFI), anunciou hoje esta entidade financeira.

“O projeto, o maior investimento direto estrangeiro em África, com um valor de mais de 24 mil milhões de dólares [20 mil milhões de euros] vai explorar as imensas reservas de gás, podendo potencialmente transformar os mercados globais de energia”, lê-se no comunicado do BAD que anuncia o prémio.

O BAD assinou um acordo de financiamento no valor de 400 milhões de dólares, cerca de 329 milhões de euros, em julho do ano passado, juntando-se a um conjunto de bancos comerciais e agências de crédito à exportação que financiam o projeto liderado pela petrolífera francesa Total no norte do país.

“Continuo a achar notável que tantos projetos tenham sido financiados neste e no ano passado”, comentou o diretor da PFI, Rod Morrison, salientando o “papel fundamental das instituições multilaterais para garantir o financiamento do projeto”, que teve também o apoio do Banco de Importações e Exportações dos Estados Unidos da América e do Banco do Japão para a Cooperação Internacional.

“Este grande reconhecimento reforça a liderança do BAD e o seu papel na ajuda à estruturação do financiamento e à atração de investimentos para África”, comentou o presidente do banco, Akinwumi Adesina.

“O projeto de 24 mil milhões de dólares, estruturado no Fórum de Investimento em África, é o maior investimento direto em África, e deverá desbloquear um crescimento económico em Moçambique e beneficiar milhões de pessoas no país, ao mesmo tempo que cria resiliência ao clima”, concluiu o presidente do banco.

O projeto Mozambique LNG inclui, além da francesa Total, a Empresa Nacional de Hidrocarbonetos moçambicana, a Mitsui, Videsh, PTT Exploration & Production, Bharat Petroleum e Oil Índia.

MBA // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS