Produção industrial em Cabo Verde aumentou 6,5% no segundo trimestre

A produção industrial em Cabo Verde aumentou 6,5% no segundo trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

Produção industrial em Cabo Verde aumentou 6,5% no segundo trimestre

Produção industrial em Cabo Verde aumentou 6,5% no segundo trimestre

A produção industrial em Cabo Verde aumentou 6,5% no segundo trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

De acordo com o Índice de Produção Industrial (IPI), entre abril e junho a produção registou um aumento de 17,9 pontos percentuais em relação ao trimestre anterior e em termos homólogos teve um aumento de 9,5%.

As secções da indústria transformadora e indústria de eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio apresentaram os contributos mais relevantes para a variação positiva do índice, ainda segundo o INE.

Quanto ao índice de preços na indústria, no segundo trimestre deste ano aumentou 18,6%, em comparação com o trimestre homólogo, concluiu aquele instituto cabo-verdiano.

“A evolução do índice de preços na produção industrial foi particularmente influenciada pelo agrupamento das indústrias de eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio e Indústria transformadora”, completou.

Já o volume de negócios registou uma variação homóloga de 21,2% no segundo trimestre, prosseguiu o INE, adiantando, em sentido contrário, que as indústrias extrativas tiveram uma variação do volume de negócios negativa de 43,1%.

“O volume de negócios na secção das indústrias transformadoras registou uma variação de 7,7% e as secções de eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio e de tratamento e distribuição de água registaram variações homólogas de 48,2% e 8,6%, respetivamente”, lê-se no relatório.

No que diz respeito ao emprego e horas trabalhadas, no segundo trimestre as respetivas variações homólogas foram de 1,6% e 1,1%, respetivamente.

“A secção das indústrias extrativas registou variações homólogas negativas de 28,5% em relação ao índice de emprego e de 28,6% em relação ao índice de horas trabalhadas”, referiu-se no índice.

Nas remunerações na indústria, no período em análise, a taxa de variação homóloga foi de 9,5%.

As indústrias extrativas e indústrias transformadoras registaram variações no índice de remunerações de -9,4% e 8,0%, respetivamente.

“As secções de eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio e de captação, tratamento e distribuição de água, registaram variações de 10,4% e 16,9% respetivamente”, segundo o relatório.

RIPE // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS