Produção Industrial angolana subiu 3,8% no 3.º trimestre de 2022

O Índice de Produção Industrial (IPI) angolano, do III trimestre deste ano, registou uma variação de 3,8% comparativamente ao período homólogo de 2021, influenciada sobretudo pelo aumento da Produção e distribuição de eletricidade, gás e vapor, com 7,4%.

Produção Industrial angolana subiu 3,8% no 3.º trimestre de 2022

Produção Industrial angolana subiu 3,8% no 3.º trimestre de 2022

O Índice de Produção Industrial (IPI) angolano, do III trimestre deste ano, registou uma variação de 3,8% comparativamente ao período homólogo de 2021, influenciada sobretudo pelo aumento da Produção e distribuição de eletricidade, gás e vapor, com 7,4%.

De acordo com o resultado provisório do inquérito à IPI, realizado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) angolano, influenciaram também a variação o aumento na captação, tratamento e distribuição de água e saneamento, com 4,8%, as indústrias extrativas, com 4,1%, e as indústrias transformadoras, com 2,4%.

O documento, consultado hoje pela agência Lusa, sublinha que comparativamente ao trimestre anterior, a atividade industrial observou uma variação de -1,3%, influenciada pela atividade de produção e distribuição de eletricidade, gás e vapor, com -6,8%, e indústrias extrativas, com -1,6%.

“O índice de pessoal ao serviço, durante o III trimestre de 2022, registou um crescimento de 3,1% em relação ao III trimestre de 2021 (variação homóloga) e de -1,0%, quando comparado com o II Trimestre de 2022 (variação trimestral)”, revela o inquérito.

A pesquisa indica ainda que o índice das horas trabalhadas registou, no mesmo período, uma variação homóloga de 3,3% e uma variação trimestral de -0,6% e que, analisando o índice de produção industrial por tipo de bens, verificou-se que os produtos de energia, no III trimestre de 2022, foram os que registaram maior variação homóloga, com 4,3%.

O IPI é realizado, pelo INE, com regularidade trimestral, em 398 estabelecimentos selecionados a nível nacional, com destaque para as províncias de Luanda, Bengo, Cabinda, Benguela, Huíla, Cuanza Norte, Cuanza Sul, Lunda Norte, Malanje, Uíge, Zaire, Huambo, Namibe e Bié.

A província de Luanda, com 201, é a que mais estabelecimentos possui na amostra, representando cerca de 51% do total.

Dos 398 estabelecimentos inquiridos, durante o período em análise, responderam 355, o que corresponde a uma taxa de resposta de 89%, considerada em termos estatísticos de boa cobertura.

O inquérito tem como objetivo conhecer a estrutura, o crescimento e a produtividade do setor industrial em Angola no período de referência, produzir informação estatística de base para as contas nacionais, Governo, organizações internacionais, académicos, empresários e outros utilizadores.

NME // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS