Produção de automóveis britânica caiu pelo terceiro ano consecutivo em 2019

A produção de automóveis no Reino Unido caiu pelo terceiro ano consecutivo em 2019, com as construtoras a continuar a adiar o investimento devido à incerteza criada pelo processo de saída do país da União Europeia.

Produção de automóveis britânica caiu pelo terceiro ano consecutivo em 2019

Produção de automóveis britânica caiu pelo terceiro ano consecutivo em 2019

A produção de automóveis no Reino Unido caiu pelo terceiro ano consecutivo em 2019, com as construtoras a continuar a adiar o investimento devido à incerteza criada pelo processo de saída do país da União Europeia.

Os números divulgados hoje pela Sociedade de Fabricantes e Comerciantes de Veículos (SMMT) mostram que a produção total caiu 14,2% no ano passado, para 1,3 milhões de veículos, o mais baixo desde 2010, tendo a produção caído tanto para exportação (14,7%), que representa mais de 80% das vendas, como para o mercado britânico (12,3%).

“A produção foi afetada por vários fatores, incluindo o enfraquecimento da confiança do consumidor e das empresas no mercado nacional, procura mais reduzida nos principais mercados estrangeiros, várias mudanças significativas na produção de modelos e um distanciamento do gasóleo na Europa”, referiu num comunicado.

Embora o investimento no setor quase tenha duplicado, para 1,1 mil milhões de libras (1,3 mil milhões de euros), o valor continua a ser metade da média de 2,7 mil milhões de libras (3,2 mil milhões de euros) nos últimos sete anos.

Um único grande investimento da Jaguar Land Rover para iniciar a produção de carros elétricos na região centro de Inglaterra foi responsável pela maior parte do valor de 2019, vincou a SMMT.

As paragens das fábricas na primavera e no outono, programadas para atenuar as potenciais interrupções decorrentes da saída prevista do Reino Unido da UE em 29 de março e 31 de outubro, também tiveram um efeito, acrescentou.

A data da saída foi adiada várias vezes, estando agora marcada para esta sexta-feira, 31 de janeiro, às 23:00 horas (locais e GMT), seguindo-se um período de transição até ao final de 2020 em que o Reino Unido continua com acesso ao mercado único, enquanto negoceia um novo acordo de comércio livre.

O setor automóvel emprega diretamente 166.000 pessoas no país e contribui com 16,6 mil milhões de libras (20 mil milhões de euros) para o Produto Interno Bruto (PIB) britânico, mas receia perder competitividade devido à dependência de linhas de produção sincronizadas com a entrega de componentes vindos da UE se forem criadas barreiras na circulação.

“Dada a incerteza vivida pelo setor, é essencial restabelecer a nossa competitividade global e isso começa com um acordo de comércio livre ambicioso com a Europa, que garanta que todos os produtos automóveis possam ser comprados e vendidos sem tarifas ou encargos adicionais”, vincou o presidente executivo da SMMT, Mike Hawes.

BM // CSJ

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS