Presidente executivo do BNU em Macau espera encerrar ano com lucro superior a 64 ME

Presidente executivo do BNU em Macau espera encerrar ano com lucro superior a 64 ME

O Banco Nacional Ultramarino (BNU) em Macau, do grupo Caixa Geral de Depósitos, espera atingir lucros superiores a 64 milhões de euros no final do ano, revelou o presidente executivo da instituição numa entrevista emitida hoje pela Rádio Macau.

“Acho que é possível dobrar os lucros do primeiro semestre. Vamos apresentar lucros fortes. (…) O caminho que queremos trilhar é atingir lucros superiores aos 600 milhões de patacas [64 milhões de euros]”, disse Carlos Álvares, sublinhando que o BNU deverá registar aumentos em todos os parâmetros da sua atividade.

O banco fechou o primeiro semestre do ano com lucros de 310,8 milhões de patacas (33,2 milhões de euros), menos 3,15% em relação ao mesmo período de 2017.

Os lucros daquela instituição tinham registado uma subida de 26% em 2017 para 706 milhões de patacas (cerca de 70 milhões de euros).

O BNU anunciou em junho Carlos Álvares como novo presidente executivo, sucedendo a Pedro Cardoso, que liderou o banco português nos últimos sete anos.

A nomeação de Carlos Álvares foi justificada com a sua “longa experiência no setor bancário”, ele que foi diretor-geral do Banco Comercial Português e ainda presidente do Banco Popular Portugal.

O BNU é, juntamente com o Banco da China, banco emissor de moeda em Macau e conta atualmente com 20 agências, incluindo uma na Ilha da Montanha, em Zhuhai, cidade chinesa vizinha da região Administrativa Especial de Macau.

JMC (MIM) // MCL

By Impala News / Lusa


RELACIONADOS

Presidente executivo do BNU em Macau espera encerrar ano com lucro superior a 64 ME

O Banco Nacional Ultramarino (BNU) em Macau, do grupo Caixa Geral de Depósitos, espera atingir lucros superiores a 64 milhões de euros no final do ano, revelou o presidente executivo da instituição numa entrevista emitida hoje pela Rádio Macau.