Presidente angolano exonera secretária de Estado para a Juventude

A secretária de Estado para a Juventude do Governo de Angola, Guilhermina Fundanga Manuel Mayer Alcaim, foi hoje exonerada pelo Presidente da República, tendo sido anunciada a nomeação de Fernando Francisco João para o cargo.

Presidente angolano exonera secretária de Estado para a Juventude

Presidente angolano exonera secretária de Estado para a Juventude

A secretária de Estado para a Juventude do Governo de Angola, Guilhermina Fundanga Manuel Mayer Alcaim, foi hoje exonerada pelo Presidente da República, tendo sido anunciada a nomeação de Fernando Francisco João para o cargo.

(CORREÇÃO) Luanda, 10 set 2019 (Lusa) – A secretária de Estado para a Juventude do Governo de Angola, Guilhermina Fundanga Manuel Mayer Alcaim, foi exonerada pelo Presidente da República a 23 de agosto, sendo substituída por Fernando Francisco João para o cargo.

“O Presidente da República, João Manuel Gonçalves Lourenço, nos termos da alínea d) do artigo 119 e do número 3 do artigo 125 da Constituição da República de Angola, exonera Guilhermina Fundanga Manuel Mayer Alcaim, do cargo de Secretária de Estado para a Juventude, para o qual havia sido nomeada através do Decreto Presidencial nº 248/17, de 13 de outubro”, lê-se na nota de imprensa hoje divulgada.

“Nos mesmos termos da Constituição, o Presidente da República nomeia Fernando Francisco João, para o cargo de Secretário de Estado para a Juventude”, conclui a nota.

A divulgação da substituição da secretária de Estado acontece poucos dias depois da realização da Feira de Oportunidades de Emprego, Estágio e Formação Profissional (FOEEFP), na sexta-feira, marcada por um enorme afluxo de jovens à tenda principal, que resultou em pessoas deitadas ao chão, dezenas de currículos amassados, óculos partidos, peças de calçado, perucas e até manchas de sangue.

Com currículos nos braços e convictos em conseguirem pelo menos um lugar entre as mais de 100 oportunidades de emprego, formação profissional, estágios ou uma bolsa de estudos, a presença massiva de jovens “surpreendeu” a organização e o reduzido número de efetivos da polícia no local.

Os jovens angolanos desempregados questionaram então as políticas do Governo para a promoção do emprego, referindo que sua situação “é precária e dramática”, desejando apenas oportunidades para apresentar as suas “habilidades e competências”.

Em abril deste ano, o Presidente angolano aprovou em decreto o Plano de Ação para Promoção da Empregabilidade (PAPE), que disponibiliza 21 mil milhões de kuanzas (58,3 milhões de euros, na cotação da altura) para promover o emprego, que “deverão ser criados e absorvidos pelo setor produtivo da economia”, para dar cumprimento à promessa feita em 2017.

De acordo com números recentes do Instituto Nacional de Estatística de Angola, mais de metade dos jovens angolanos está em situação de desemprego.

MBA (DYAS) // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS