Prejuízos da Ibersol melhoram em 45,3% até setembro para 20,2 ME

Os prejuízos da Ibersol melhoraram, nos primeiros nove meses do ano, para 20,2 milhões de euros, face ao período homólogo, indicou a empresa, num relatório hoje publicado pela CMVM.

Prejuízos da Ibersol melhoram em 45,3% até setembro para 20,2 ME

Prejuízos da Ibersol melhoram em 45,3% até setembro para 20,2 ME

Os prejuízos da Ibersol melhoraram, nos primeiros nove meses do ano, para 20,2 milhões de euros, face ao período homólogo, indicou a empresa, num relatório hoje publicado pela CMVM.

Redação, 19 nov 2021 (Lusa) — Os prejuízos da Ibersol melhoraram, nos primeiros nove meses do ano, para 20,2 milhões de euros, face ao período homólogo, indicou a empresa, num relatório hoje publicado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

“Com a progressiva diminuição das restrições à mobilidade durante os meses de verão, decorrente do crescente aumento do número de pessoas vacinadas, o volume de negócios consolidado nos primeiros nove meses de 2021 ascendeu a 241,7 milhões de euros que compara com 213,9 milhões registado no período homólogo de 2020, o que corresponde a um crescimento de 13%”, referiu a empresa, na mesma nota.

De acordo com a Ibersol, a “reabertura gradual da generalidade dos restaurantes ao longo deste terceiro trimestre — ainda que com algumas limitações – permitiu que, no final de setembro, a Ibersol tivesse 95% dos restaurantes próprios em operação, estando os restaurantes encerrados maioritariamente localizados em aeroportos e estações de serviço”, garantiu.

Por sua vez, o EBITDA (resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações) “ascendeu a 54,0 milhões de euros, representando um aumento de 50,5% face a igual período do ano anterior”, sublinhou a Ibersol.

A empresa indicou ainda que o “resultado operacional consolidado no final dos primeiros nove meses atingiu o valor de -9,8 milhões de euros, que compara com o registado em igual período de 2020 que ascendeu a -31,6 milhões de euros”.

Numa análise à atividade destes nove meses, a empresa referiu que o “segmento de concessões e ‘catering’, apesar de continuar a ser o mais penalizado, evidenciou neste trimestre um ritmo de recuperação significativo por efeito do levantamento das restrições e limitações do tráfego aéreo, bem como do ritmo de vacinação que acelerou o aumento da confiança dos consumidores.

Em Espanha, onde o grupo opera restaurantes em nove aeroportos, “o tráfego de passageiros registou perdas no 3.º trimestre de 46% (77% no segundo trimestre), quando comparadas com as de 2019, sendo os aeroportos localizados nas ilhas Canárias e Baleares menos penalizados do que os urbanos”, salientou.

Em Portugal, “as perdas foram de 45% no terceiro trimestre nos aeroportos em que o grupo tem presença”, referiu a Ibersol, nos resultados dos primeiros nove meses deste ano.

Além disso, “durante os primeiros nove meses do ano, verificou-se o encerramento definitivo de 17 unidades, 12 das quais franquiadas e concretizou-se a abertura de quatro novos restaurantes da Pizza Hut e Burger King em Portugal e a conversão de dois restaurantes Pasta Caffé em Taco Bell”, lê-se no documento.

A Ibersol indicou ainda que “o encerramento dos cinco restaurantes próprios resultou da opção de não renovação de três contratos de arrendamento (dois restaurantes da Pans e um da Pizza Hut) e do termo dos contratos de concessão de dois restaurantes localizados nos aeroportos de Madrid e Bilbao”.

Assim, “no final de setembro, o número total de unidades era de 610 (530 próprias e 80 franquiadas)”, em Portugal, Espanha e Angola e outras localizações, destacou.

Esta quinta-feira, o grupo registou o aumento de capital, para 46 milhões de euros, que levou a cabo através da emissão de 10 milhões de novas ações.

Na nota, publicada na CMVM, a empresa informou que “o aumento do seu capital social de 36.000.000,00 euros para 46.000.000,00 euros, com a emissão de 10.000.000 novas ações ordinárias, escriturais e nominativas, com o valor nominal de um Euro, com o valor de emissão e preço de subscrição unitário de 4,00 euros (o que inclui um ágio de três euros por nova ação), com subscrição reservada a acionistas no exercício dos respetivos direitos legais de preferência e demais investidores que adquiriram direitos de subscrição, foi registado, na presente data [quinta-feira]”.

“Deste modo, o capital social da Ibersol é atualmente de 46.000.000,00 euros, representado por 46.000.000 ações ordinárias, escriturais e nominativas, com o valor nominal de um euro”, indicou.

A procura durante a emissão de ações da Ibersol, no âmbito de um aumento de capital, atingiu os 146%, tendo a empresa cumprido a meta de encaixar 40 milhões de euros, indicou o grupo em comunicado ao mercado, no dia 15 de novembro. 

O grupo explicou, no mês passado, que resolveu lançar a oferta tendo em conta a deterioração dos seus resultados.

 

ALYN // EA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS