Preços da produção industrial caem 1,9% na zona euro em novembro

Os preços na produção industrial caíram 1,9% na zona euro e 1,8% na União Europeia (UE) em novembro de 2020 em comparação com o período homólogo do ano anterior, impulsionados pelo setor energético, anunciou hoje o Eurostat.

Preços da produção industrial caem 1,9% na zona euro em novembro

Preços da produção industrial caem 1,9% na zona euro em novembro

Os preços na produção industrial caíram 1,9% na zona euro e 1,8% na União Europeia (UE) em novembro de 2020 em comparação com o período homólogo do ano anterior, impulsionados pelo setor energético, anunciou hoje o Eurostat.

Dados hoje divulgados pelo gabinete estatístico comunitário revelam que, em novembro de 2020, os preços na produção industrial diminuíram 1,9% na zona euro e 1,8% na UE em comparação com o mesmo mês de 2019.

A contribuir para esta queda homóloga na zona euro está, principalmente, o setor energético, no qual os preços na produção industrial desceram 7,5%, juntamente com os bens intermédios (-0,5%).

Por seu lado, os preços na produção industrial na zona euro subiram 0,1% para bens de consumo não duradouros, 0,9% para bens de capital e 1,5% para bens de consumo duradouros.

No conjunto da UE, as maiores descidas homólogas nos preços na produção industrial foram observadas na Lituânia (-7,3%), Grécia (-6,8%) e Chipre (-6,1%), enquanto que os únicos aumentos foram registados em Malta (+1,8%), Hungria e Eslovénia (ambos +1,1%).

Na variação em cadeia, os preços na produção industrial aumentaram 0,4% tanto na zona euro como na UE em novembro passado em comparação com o mês anterior.

Também aqui, a subida mensal foi impulsionada na zona euro pelo setor energético, no qual os preços subiram 1,3%, bem como pelos dos bens intermédios (0,3%) e bens de consumo duradouros (0,1%), enquanto que os preços permaneceram estáveis para bens de capital e bens de consumo não duradouros.

No conjunto da UE, os maiores aumentos mensais de preços na produção industrial foram registados na Dinamarca e França (ambos +1,7%), Estónia (+1,2%) e Roménia (+1,1%), enquanto as maiores descidas foram observadas na Irlanda (-1,4%), Eslováquia (-0,7%) e República Checa (-0,5%).

ANE // EA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS