Portugal regressa aos mercados para colocar até 1.750 ME em dívida de curto prazo

O Estado português vai voltar hoje aos mercados com dois leilões de dívida a seis e 12 meses, com os quais espera arrecadar entre 1.500 e 1.750 milhões de euros.

Portugal regressa aos mercados para colocar até 1.750 ME em dívida de curto prazo

Portugal regressa aos mercados para colocar até 1.750 ME em dívida de curto prazo

O Estado português vai voltar hoje aos mercados com dois leilões de dívida a seis e 12 meses, com os quais espera arrecadar entre 1.500 e 1.750 milhões de euros.

O Estado português vai voltar hoje aos mercados com dois leilões de dívida a seis e 12 meses, com os quais espera arrecadar entre 1.500 e 1.750 milhões de euros.

O IGCP, agência que gere a dívida pública portuguesa, informou que vai realizar hoje “dois leilões de Bilhetes do Tesouro (BT) que têm maturidades em 19 de janeiro de 2018 (seis meses) e em 20 de julho de 2018 (um ano).

Em maio, nos últimos leilões de BT comparáveis, Portugal colocou 1.000 milhões de euros a um ano a uma taxa de juro média de -0,153% e 500 milhões de euros a seis meses a uma taxa de juro de -0,210%.

Em ambos os casos, as taxas de juro foram ainda mais negativas do que as dos anteriores leilões comparáveis

Os leilões de hoje já estavam previstos no programa de financiamento a curto prazo do IGCP no terceiro trimestre deste ano, sendo que este é o primeiro leilão duplo de BT com estas maturidades.

Entre julho e final de setembro, o IGCP espera arrecadar 4.500 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro, tendo já colocado, na passada quarta-feira, 1.000 milhões de euros em obrigações a 10 anos e a 28 anos.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS