Portugal inicia presidência da UE “num momento muito difícil” – Vera Jourová

A vice-presidente da Comissão para os Valores e Transparência, Vera Jourová, disse, em entrevista à agência Lusa, que Portugal começa a presidência da União Europeia “num momento muito difícil e em condições muito difíceis”.

Portugal inicia presidência da UE

Portugal inicia presidência da UE “num momento muito difícil” – Vera Jourová

A vice-presidente da Comissão para os Valores e Transparência, Vera Jourová, disse, em entrevista à agência Lusa, que Portugal começa a presidência da União Europeia “num momento muito difícil e em condições muito difíceis”.

“Portugal inicia a presidência [em 01 de janeiro] num momento muito difícil e em condições muito difíceis”, considerou a vice-presidente da Comissão bem entrevista à margem da Web Summit, que adiantou que já teve “um debate muito bom” com uma representante do Governo.

Nesse debate, foi discutida a necessidade de “dar continuidade ao diálogo sobre o Estado de Direito, porque temos agora o relatório do Estado de Direito”, referiu a Vera Jourová.

Também foi abordada a necessidade “de fazer mais” no campo da igualdade de género, da legislação sobre a violência sobre as mulheres e do combate ao discurso de ódio.

“Queremos introduzir o discurso do ódio” na lista de crimes na UE, tema que “será também debatido”, acrescentou Vera Jourová.

“Temos um entendimento comum muito bom [para] que assim que tivermos legislação que regulamenta a internet, que é a Lei dos Serviços Digitais [Digital Services Act] e mercados digitais, a presidência [portuguesa]assumirá o controlo e avançará com o processo legislativo”, disse vice-presidente.

“Falando de uma maneira geral, achamos que podemos fazer trabalho muito útil nos próximos seis meses para esta tão determinada presidência portuguesa”, salientou.

A presidência portuguesa da UE, no primeiro semestre de 2021, tem como prioridades a Europa Resiliente, capaz de resistir a crises não apenas economicamente como ao nível dos valores europeus, a Europa Social, com o modelo social como fator de crescimento económico, a Europa Verde, líder mundial no combate às alterações climáticas, a Europa Digital, pronta para enfrentar a transição tecnológica a nível económico e de proteção dos direitos dos cidadãos, e a Europa Global, assente na aposta no multilateralismo.

ALU//

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS